Paul Riley, técnico do North Carolina Courage, é demitido após denúncias de assédio sexual

As condutas do técnico inglês foram citadas por várias jogadoras em reportagem ao site “The Athletic”

Um verdadeiro escândalo no futebol feminino mundial. Nesta quinta-feira (30), o site americano “The Athletic” divulgou uma reportagem que acusa Paul Riley, técnico do North Carolina Courage, de assédio sexual. A repercussão do caso resultou na demissão do inglês pelo time da principal Liga Americana de Futebol Feminino (NWSL).

O The Athletic ouviu cerca de 25 a 30 pessoas, entre jogadoras que jogaram em cada time que Paul Riley treinou e outras pessoas relacionadas ao futebol feminino. As principais fontes da denúncia foram as ex-jogadoras americanas Sinead Farrelly e Mana Shim.

Farrelly, que atuou em três times comandados por Riley, o acusou de assédio sexual quando ele era seu treinador no Philadelphia Independence. Nos quatro anos que jogou sob o comando de Paul Riley, a jogadora alegou ter sofrido vários tipos de violência, como homofobia, assédio moral e sexual, e até abuso sexual. No seu depoimento, disse que foi coagida a fazer sexo com o técnico em seu quarto de hotel, após a derrota na final da Liga Profissional de Futebol Feminino (WPSL) em 2011.

A conduta do treinador foi reportada por Shim à direção do Portland Thorns, com apoio da atacante da seleção americana Alex Morgan. Ao fim da temporada, Riley deixou o Thorns, aparentemente devido aos resultados ruins na temporada. A investigação interna do clube jamais foi mencionada publicamente.

A repercussão

Alex Morgan, estrela da seleção americana e ex-jogadora do Portland Thorns – onde trabalhou com Riley, confirmou as acusações de suas então companheiras de equipe e disse que tentou ajudá-las a registrar uma denúncia na liga. “Estou enojada e tenho muitos pensamentos para compartilhar agora”, escreveu Morgan no Twitter nesta quinta-feira. “Conclusão: proteja suas jogadoras. Faça a coisa certa NWSL.”

A comissária da liga, Lisa Baird, também se manifestou por redes sociais e afirmou que a liga ficou “chocada e enojada” com as revelações e declarou que está implementando um novo processo de denúncia anônima para jogadoras, comissão técnica e membros da equipe de organização.

A meia dinamarquesa, Nadia Nadim, que trabalhou com Riley no Thorns em 2016 e 2017, também criticou Riley e a liga nas redes sociais. “ A NWSL é uma piada. A liga quer ser vista como uma das melhores do mundo mas com esta merda que continua acontecendo nós não vamos ser mais que uma piada para o resto do mundo. As jogadoras merecem mais que isso. Fazer investigações internas, mantê-las confidenciais, e então continuar tendo o apoio de pessoas que fazem as coisas erradas precisa parar” escreveu Nadim no Twitter, esclarecendo que nunca sofreu assédio mas revelando que já teve uma assinatura falsicada por dirigentes.

A resposta do North Carolina Courage

O time, que ocupa a terceira posição da temporada 2021/22 da NWSL, soltou um comunicado horas depois da divulgação da reportagem anunciando a demissão de Paul Riley. O time será dirigido interinamente por Sean Nahas no restante da temporada.

“À luz das notícias de hoje, o North Carolina Courage demitiu o técnico Paul Riley, com efeito imediato, após sérias alegações de conduta inapropriada. O Courage apoia e elogia as jogadoras que deram um passo adiante por corajosamente compartilhar suas histórias”, diz um trecho da nota do NC Courage.

Foto em destaque: Maddie Meyer/AFP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s