Copa América: Em meio ao caos, Colômbia deixa de ser sede e torneio deve ocorrer apenas na Argentina

A tensão social, que está cada vez maior, torna impossível a realização da competição no país

A Copa América tem data prevista para começar no dia 13 de junho, porém a Colômbia não poderá mais sediar o evento. A decisão foi tomada nesta quinta-feira, a menos de um mês do início do torneio. O país era sede ao lado da Argentina, porém por conta da onda de protestos, os jogos serão realizados apenas nas cidades argentinas.

O povo colombiano protesta contra a reforma tributária proposta pelo governo local e a repressão policial. As manifestações afetaram as realizações das partidas da Copa Libertadores na última semana. Houveram também protestos direcionados contra a realização da Copa América no país.  Manifestantes se reuniram nos arredores do estádio El Campín, na capital Bogotá, pedindo que o torneio não fosse realizado em solo colombiano. A final e decisão de terceiro lugar seriam realizados em Barranquilla e Bogotá, respectivamente.

Ainda nesta quinta-feira, em uma última tentativa de manter o torneio no país, autoridades da Colômbia pediram para a Conmebol adiar a Copa América. Porém, a entidade rejeitou o pedido.

“Por razões relacionadas ao calendário internacional de competições e à logística do torneio, resulta impossível mudar a Copa América 2021 para o mês de novembro”, diz um comunicado oficial da Conmebol, divulgado na noite desta quinta.

Em nota, a Conmebol confirmou a realização da competição na data prevista e avisou que irá divulgar a nova tabela nos próximos dias, com a realocação dos jogos previstos para a Colômbia. O comunicado não cita a Argentina como sede única.

A Colômbia receberia o grupo B, no qual o Brasil jogaria a primeira fase. Pela tabela original, estrearia contra a Venezuela no dia 14, em Medellín. Então, jogaria em Cali, contra o Peru, em Barranquilla, contra a Colômbia, e em Bogotá, contra o Equador.

A Copa América iria estrear um novo formato, com os 10 países divididos em dois grupos, um em cada país. O grupo A, na Argentina, conta com Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, além da seleção anfitriã. Os quatro melhores de cada chave avançam para a fase de mata-mata.

A remoção da Colômbia como país-sede não é a primeira baixa desta edição da Copa América. O torneio também contaria com dois convidados – Catar e Austrália – que acabaram desistindo dee disputá-lo por conta do calendário apertado e das restrições sanitárias a viagens para a América do Sul.

A situação na Colômbia está tão tensa, que as consequências alcançaram até o futebol. No jogo entre Atlético-MG e América de Cali, pela Libertadores, os jogadores chegaram a sentir em campo os efeitos de gás lacrimogêneo atirado pela polícia para contar uma manifestação nos arredores do estádio Romelio Martínez, em Barranquilla.

Já ocorreu uma situação parecida no jogo entre Junior Barranquilla e River Plate, inclusive no mesmo estádio. Houve também protestos na cidade de Pereira, quando manifestantes tentaram impedir a realização da partida entre Atlético Nacional x Nacional do Uruguai. Durante esse período de protestos, outros jogos foram transferidos da Colômbia para países vizinhos, como Junior Barranquilla 1 x 1 Fluminense, também pela Libertadores, realizado em Guayaquil, no Equador.

Foto de destaque: GABRIEL BOUYS / AFP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s