Novela: Globo e Athletico devem definir briga por causa do PPV na Justiça em abril

Há menos de dois meses para o início do Brasileirão 2021, Globo e Athletico ainda disputam na Justiça sobre uma questão de 2020

Tentando impedir desde o ano passado que o Furacão transmita os jogos do campeonato nacional em sistema de pay-per-view, a emissora utiliza um contrato firmado com a empresa Livemode durante a vigência da MP 984, que oferecia ao mandante o direito de transmissão de uma partida.

Segundo apurou o UOL, o processo corre em segunda instância na 15ª Vara Cível de Curitiba. Além disso, o Athletico ainda tem uma liminar que autoriza o clube a comercializar os jogos em sistema fechado diretamente. O argumento utilizado é que o contrato foi fechado com a legislação vigente e que tudo está regularizado.

A Globo acusa o time da capital paranaense de má-fé e de quebrar os acordos que estariam juridicamente completos. A Justiça deve resolver essa questão até abril. O desembargador Abraham Lincoln Merheb Calixto, que está cuidando do caso, pediu para que fosse executado o “Julgamento em Diligência”, no começo dessa semana—quando há algum fato no processo que está mal explicado, o juiz então solicita novas informações para fundamentar a sua futura decisão. Abraham deu 15 dias para os dados serem prestados.

O começo de tudo foi em agosto de 2020. O Athletico tirou vatagem da MP do Mandante e criou seu próprio pay-per-view. A Globo entrou com o processo e obteve duas liminares para proibir a transmissão nos outros meses. O clube conseguiu reverter as decisões na época judicialmente.

Em outubro, depois da Medida Provisória perder a validade, o Athletico anunciou que vendeu os direitos para a empresa Livemode para pay-per-view. A Globo não acatou. Foi então que a emissora acusou o Furacão de ‘má-fé’ por fechar contrato com uma empresa de forma oculta, sem nenhum anúncio e alterando apenas partes da plataforma de streaming —o clube alterou o nome, por exemplo, que passou de “Furacão Play” para “Furacão Live”.

A Globo ficou surpresa ao perceber que o Athletico havia anunciado a transmissão dos jogos em sistema fechado, mesmo após a MP do Mandante ter perdido a validade e tratou o caso com deboche. A emissora global disse que o acordo do Athletico com a Livemode para PPV só pode se tratar de “um equívoco na apuração feita pelos jornalistas que publicaram a matéria”.

“Seria mesmo um completo escárnio que o CAP passasse agora a sustentar que se deveria respeitar um suposto ‘ato jurídico perfeito’ e ‘direito adquirido’ com relação a um contrato firmado por ele com terceiros sob a vigência da MP, quando, de forma combativa, desrespeitou o direito adquirido da GLOBO e argumentou reiteradamente nos autos que terceiros não podem ser afetados por relações contratuais das quais não fizeram parte”, pontuaram os advogados.

A Globo citou também que o clube paranaense fez diversas manobras com a exclusiva intenção de infringir os direitos adquiridos pela Globo e prejudicar o canal. Exemplificando, foi lembrado o processo movido por uma associação que é ligada ao clube com a intenção de obter uma liminar e dar direito legal ao Athletico para passar o Brasileirão em sua própria plataforma, o Furacão Play.

“As sucessivas manobras do CAP para violar os direitos da GLOBO (que, dentre outras cambalhotas, já se escondeu por detrás da sua associação de torcedores para a propositura da ação civil pública em apenso e argumentou que não poderia se vincular à decisão lá proferida ao mesmo tempo em que requeria seu ingresso na demanda como litisconsorte ativo), agora somadas à tentativa de seguir com sua conduta ilícita mesmo diante da perda de eficácia da MP, certamente o qualifica para ser penalizado pela litigância de má-fé”, disse a Globo.

Em dezembro, a emissora chegou a conseguir uma outra liminar para impedir as transmissões, mas, no mesmo mês, o Athletico conseguiu abater. Abusando da decisão que lhe foi favorável, o clube fez iniciativas de transmissões no Twitch, plataforma de streaming da Amazon, por exemplo. Agora é esperar para ver onde vai parar essa novela.

Foto de destaque: Carol Corrêa/Rainhas do Drible

Um comentário sobre “Novela: Globo e Athletico devem definir briga por causa do PPV na Justiça em abril

Deixe uma resposta para Alana Queiroz Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s