Foto: Cristina Vega Rhor / AFP/Reprodução

Especial Libertadores: Corinthians feminino – A máquina absoluta

O Corinthians feminino foi fundado em 1997 e desativado por alguns anos, retornou em 2016 numa parceria com o Audax e passou a ter gestão própria em 2018

A maior parte dos jogos são realizados no Estádio Alfredo Schürig, mais conhecido como “Fazendinha”, sendo considerada a casa do futebol feminino do Corinthians. O time é o atual campeão da Libertadores Feminina, do Paulista Feminino e do Brasileiro Feminino.

Primórdios e parceria

Fundada em 1997, a equipe de futebol feminino do Sport Club Corinthians Paulista é uma das mais bem sucedidas da América latina da atualidade. Porém, ela passou por diversos períodos de instabilidade, operando de forma irregular, e sendo desativada no biênio 2008-09.

Uma das principais jogadoras do período inicial da equipe foi a Milene Domingues, conhecida como a rainha das embaixadinhas, que ficou no clube de 1997 até 2001, quando se transferiu para o futebol europeu. A modalidade ficou paralisada por sete anos até 2016, e durante esse período outras equipes do futebol paulista como o Santos e o São José se mantiveram competitivas e bem sucedidas com títulos nacionais e internacionais.

Com o sucesso dos rivais e o potencial da modalidade a ser explorado, o Corinthians anunciou o retorno à categoria no dia 27 de janeiro de 2016, através de uma parceria com o Grêmio Osasco Audax. A parceria durou dois anos e estabeleceu as primeiras grandes conquistas do time.

Em 2016, a equipe foi campeã da Copa do Brasil pela primeira vez e garantiu a classificação para a Copa Libertadores de 2017, na qual foi campeã de forma invicta ao vencer o Colo-Colo nos pênaltis, com grande atuação da goleira Lelê. Até a Fifa se rendeu à equipe paulista.

“O ‘Timão’ tem o título grande! O time que bateu o recorde mundial de vitórias seguidas no futebol no último mês é uma máquina absoluta”, disse a Federação Internacional de Futebol por meio do Twitter oficial da Copa do Mundo feminina.

Com o título, o Corinthians igualou o Santos ao ser campeão tanto da Libertadores masculina como da feminina. No fim do mesmo ano, a parceria com o Audax se encerra e o time feminino do Corinthians passou a ter gestão própria.

Libertadores 2017

A Copa Libertadores de Futebol Feminino de 2017, oficialmente CONMEBOL Libertadores Feminina 2017, foi a nona edição da competição organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL).

O dia 21 de outubro ficará sempre marcado na história do futebol feminino do Corinthians. Nesta data, na temporada de 2017, o Timão conquistou pela primeira vez a Copa Libertadores Feminina, de forma invicta. A competição foi disputada pela primeira vez no Paraguai, nas cidades de Assunção, Luque e Villa Elisa. Participaram clubes das dez associações sul-americanas.

O Corinthians em parceria com o Audax conquistou seu primeiro título da competição, ao derrotar a equipe chilena do Colo-Colo nas penalidades, tornando-se a 4ª equipe brasileira a levar o título do torneio continental, sacramentando a 7ª conquista de times brasileiros em 9 edições da Libertadores Feminina. Foi a primeira vez que uma equipe conquistou o título em parceria com outra.

Quando entrou em campo, as comandadas por Arthur Elias mostraram o motivo que todos as apontavam como favoritas. Diante das donas da casa do, até então, Sportivo Limpeño (atual Libertad/Limpeño), o Timão dominou a partida e venceu por 2 a 0. Depois, não tomou nota das bolivianas do Deportivo Ita, aplicando uma goleada de 6 a 1. No jogo mais esperado da chave, que definia a classificação, vitória por 2 a 1 sob o Independiente Santa Fé (COL) e vaga na semifinal garantida.

Na fase eliminatória, vitória por 3 a 0 diante das locais do Cerro Porteño e, com moral, o Timão chegava a sua primeira final continental logo em seu debute na competição. O que já parecia uma história fantástica, virou um roteiro dos mais alvinegros.

O jogo

Chegada a grande decisão, o último adversário alvinegro seriam as chilenas do Colo-Colo. Com a bola rolando, pressão total corinthiana e diante de uma arbitragem em dia pouco inspirado, o Corinthians se viu sem balançar as redes, com ao menos dois pênaltis claros não marcados e com uma jogadora a menos, expulsa após simulação de agressão da goleira adversária.

Nos pênaltis, o popular canto de: “corinthiano, maloqueiro e sofredor” mostrou o quanto era real. No Brasil pela TV e no Paraguai, diante de cerca de 100 corinthianos, o Timão começou a série de pênaltis com uma cobrança para fora de Cacau. Depois, Daiane e Kerolin marcaram para as brasileiras, enquanto Villamayor, Karen e Quezada garantiram os gols chilenos.

Então, começou a brilhar a estrela da goleira Lelê. Na quarta cobrança chilena, a camisa 12 defendeu a cobrança de Claudia Soto, principal jogadora do Colo-Colo. Pardal deixou tudo igual para o Corinthians e, depois, Guerrero, para as adversárias, e Byanca Brasil, para o Timão, levaram a decisão para as alternadas.

Nos tiros eliminatórios, Yasmim acabou perdendo para o Corinthians, elevando o batimento cardíaco da Fiel ao máximo. Bastava ali um gol para o time chileno bater as brasileiras, que então teriam decretado uma temporada sem títulos. Porém, a estrela de Lelê brilhou outra vez. Na cobrança de Camila Saez, nova defesa da goleira corinthiana.

Na cobrança seguinte, Ana Vitória colocou a bola no ângulo e jogou a pressão toda para as adversárias. Pela primeira vez o Timão estava na frente do placar. E assim ele ficou eternizado. Soto, responsável pelo sétimo pênalti chileno, jogou nas placas de publicidade atrás do canto direito do gol defendido por Lelê, fazendo a Fiel explodir em alegria.

Toda a trajetória do Corinthians naquela edição da Copa Libertadores Feminina tornou-se um documentário, de nome “loucas por ti, América”. Ele está disponível no Facebook oficial da modalidade e pode ser assistido gratuitamente.

Aquele resultado, conquistado de forma corinthiana no dia 21 de outubro, consolidou o Corinthians como um dos principais times da modalidade e, dois anos depois, o Timão, dessa vez com seu time de administração própria, foi até o Equador buscar o bicampeonato. Atuais campeãs da América, as alvinegras viajam entre janeiro de fevereiro de 2021 para buscar o tricampeonato continental, que nesta edição terá como sede o Chile.

Libertadores 2019

Bicampeão da Libertadores 2019, o Timão venceu a Ferroviária, em Quito, no Equador, e foi recebido pela Fiel torcida no aeroporto um dia depois da conquista. Cerca de 50 torcedores estiveram no local. A vitória garantiu o bicampeonato para o Timão, que se iguala ao Santos, com dois títulos. O São José segue o único tricampeão do torneio.

Foram cinco vitórias e um empate nos seis jogos disputados da Libertadores. Assim como em 2017, quando ainda era parceiro do Audax no futebol feminino, o Corinthians conquistou o título invicto.

O jogo

O Timão dominou a maior parte do jogo e teve um gol mal anulado ainda no primeiro tempo, de Tamires. A arbitragem marcou impedimento de forma equivocada.

Na primeira final brasileira da competição, o Timão foi para cima e tentou fazer o gol a todo momento. Na primeira metade, contou com as melhores chances e até colocou a bola para dentro, mas o gol de Tamires foi anulado de forma errada aos nove minutos.

A pressão surtiu efeito no segundo tempo. Aos 28 minutos, o Corinthians aproveitou o contra-ataque e, após passe de Tamires, Giovanna Clivelari recebeu e bateu cruzado para abrir o placar.

O tento definitivo saiu aos 44 minutos. Em jogada de Juliete e Victoria Albuquerque, as corintianas tabelaram e a lateral bateu cruzado para sacramentar a conquista.

Rivalidade

Corinthians e Ferroviária têm protagonizado rivalidade no futebol feminino. No Paulista, o Timão bateu a equipe do interior nas semifinais. Depois, no Brasileiro, a Ferroviária deu o troco na final do Brasileirão, ao vencer o Corinthians nos pênaltis após dois empates. Agora, as duas equipes voltaram a se encarar, desta vez na final da Libertadores.

Não perca as contas!

Veja os títulos do Corinthians feminino:

  • Copa do Brasil (2016)
  • Libertadores (2017 e 2019)
  • Brasileirão (2018 e 2020)
  • Paulistão (2019)

Foto de destaque: Cristina Vega Rhor / AFP/Reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s