Especial Libertadores: River Plate – Monumental de corpo e alma

Com quatro títulos da Libertadores pra conta, um dos clubes mais tradicionais sul-americanos é sempre dado como um dos favoritos para o título da competição

Um dos piores pesadelos para times brasileiros e personagem de uma das maiores rivalidades do futebol mundial, o Club Atlético River Plate, é um dos clubes mais tradicionais do mundo. O dono de quatro Libertadores, é figurinha carimbada na competição, muitas vezes esbarrando com times brasileiros em seu caminho.

Monumental não só no estádio

Apesar da rivalidade ferrenha entre os clubes, a história de River Plate e Boca Juniors tem a mesma origem: o bairro La Boca, às margens do Rio da Prata na capital Buenos Aires. Um dos fundadores, Pedro Martínez, observava as enormes caixas que vinham da Escócia para Porto de Buenos Aires com a inscrição “River Plate”. Por isso, ele propôs esse nome para o novo clube.

Se levado ao pé da letra, a tradução estaria errada já que prata em inglês é silver . Porém, o nome como é conhecido o Rio da Prata na comunidade britânica é realmente River Plate. Tanto que a primeira grande batalha naval da Segunda Guerra Mundial, episódio conhecido como ‘Batalha do Rio da Prata e aconteceu 13 de dezembro de 1939, é conhecida em inglês como ‘The Battle of the River Plate’.

O dono do Monumental de Nuñes é o maior campeão do Campeonato Argentino, com 36 títulos e 34 vices para a conta. Quem vem logo atrás é o arquirrival Boca Juniors, que tem 34 títulos.

A história na Libertadores

Falando de Copa Libertadores da América, o River é o 4º maior vencedor da competição com 4 títulos: em 1986, em 1996, em 2015 e em 2018. Só fica atrás para seus rivais argentinos Independiente, que tem 7, Boca Juniors que tem 6 e o Peñarol, que tem 5 títulos.

No último título, uma história digna de um filme épico. A final da Copa Libertadores da América de 2018 tinha tudo para ser uma das maiores da história, com o maior clássico atual: River Plate e Boca Juniors duelariam em dois jogos para saber quem ganharia a América. Os estádios, que tem 16 km de distância, receberiam torcida única por conta da rivalidade. Porém, no segundo jogo, um completo caos: o ônibus do Boca foi atingido ao chegar no Monumental de Nuñes, confusão de torcedores após o adiamento do jogo.

O último capítulo daquele Superclássico foi escrito há mais de 10.000 km de casa. Foi a primeira vez que uma final de Libertadores não foi disputada em solo sul-americano. E duplamente simbólico, já que o nome “Libertadores da América” é para lembrar os principais líderes de independência das nações sul-americanas. A Espanha e grande parte do mundo assistia um River Plate ganhando a América, contra seu maior rival. O mundo, finalmente, virou rojiblanco.

O River contra o Brasil

Na Libertadores, o River tem ao todo 40 jogos contra times brasileiros. Destes, são 14 vitórias, 9 empates e 17 derrotas. Contando as outras competições, são 54 jogos, com 18 vitórias, 13 empates e 23 derrotas. O time brasileiro que mais enfrentou os rojiblancos dentro e fora da Libertadores foi o Cruzeiro, com 9 jogos, e o São Paulo, com 8.

O último confronto com brasileiros foi bem recente. Na semifinal da Libertadores de 2020, os Millonarios enfrentaram o Palmeiras. Em um jogo para se esquecer na Argentina, os donos da casa perderam para os brasileiros por 3 a 0. Na volta, o River abriu 2 a 0 no Allianz Parque, mas o time de Abel Ferreira conseguiu segurar o resultado e o River foi eliminado.

Da crise à gloria

Os triunfos recentes não escondem a crise que o time viveu em 2011. Terminando o campeonato em 17º, o River teve que jogar a repescagem contra o Belgrádo, 4º colocado da Série B. Dia 26 de junho de 2011, dia do segundo jogo da repescagem, entrará para a história do time e da cidade: o jogo não foi terminado por conta da invasão dos torcedores no campo, o Monumental de Nuñes quase lotado assistiu a queda de um gigante e a capital argentina viveu momentos de terror. Adeptos do River Plate depredaram as dependências do estádio, carros e lojas nas ruas próximas.

O futebol sul-americano é amor na sua mais pura forma da palavra. O futebol ajudou no processo de aceitação das origens e no fortalecimento de uma América Latina cada vez mais orgulhosa de ser quem é. E o Club Atlético River Plate é parte monumental desta história.

Foto de destaque: Divulgação / Diego Haliasz / Prensa River

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s