Documentário “Outraged” abordando sobre diferentes formas de descriminação é lançado pela UEFA

Filme mostra depoimentos e entrevistas com grandes nomes do futebol feminino e masculino, que falam sobre racismo, sexismo e homofobia

Em dezembro, a Uefa divulgou o trailer do documentário em que atletas como Paul Pogba, Megan Rapinoe e Kalidou Koulibaly, compartilham as suas histórias de exclusão e descriminação no futebol. Ontem, a federação lançou o documentário gratuito através da UEFA TV

O filme também faz uma viagem pela Europa e América do Norte, mostrando as complexidades da discriminação na modalidade seja pela sua etnia, gênero, religião, orientação sexual ou como refugido no passado.

“É responsabilidade de todos nos livrarmos da discriminação.”, diz Megan Rapinoe no documentário. 

Para Aleksander Čeferin, presidente da federação, é importante que os jogadores e jogadoras falem sobre o assunto.

“São eles que sofrem discriminação” e que o futebol deve dar um passo à frente e liderar no combate à discriminação. 

De acordo com o documentário, 54% dos torcedores no mundo todo presenciaram abusos racistas enquanto assistiam a um jogo de futebol. Somente no Reino Unido, 39% dos fãs entrevistados já testemunharam ou ouviram falar de um ato de discriminação.

Stéphanie Frappart, a primeira árbitra a apitar um jogo de futebol masculino comandado pela Uefa, conta sobre o que pensa sobre o seu trabalho.

“Penso que o meu desempenho em campo e o facto de as pessoas me verem nos jogos masculinos vão mudar as coisas. Já disse a mim mesma que estou onde estou hoje porque pertenço a este lugar.”

Na última Copa do Mundo de Futebol Feminino, em 2019, cerca de 40 jogadoras e treinadores presentes eram assumidamente homossexuais. Thomas Hitzsperger, hoje dirigente do Stuttgart, time da primeira divisão alemã, declara que o ambiente mais intimidador é o vestiário. 

“Eu queria ter me assumido enquanto era jogador porque eu sabia que isso teria um grande impacto, mas meus amigos mais próximos pensavam que isso seria uma má ideia. Por isso demorei tanto para ser corajoso o suficiente. O ambiente mais intimidador é o vestiário porque ali estão os seus colegas, ali que se fala sobre o jogo”.

Participam do documentário: Paul Pogba, Moise Kean, José Morinho, Tyrone Mings, Ruud Gullit, Aleksander Čeferin, Guram Kashia, Pernille Herder, Oliver Giroud, Juan Mata, Hope Powell, Thomas Hitzlsperger, Shanice van de Sanden, Nikita Parris, Lucy Bronze, Samantha Johnson, Nadia Nadim, Stéphanie Frappart, Dejan Lovren, Kalidou Koulibaly e Didier Deschamps. 

Foto de destaque: UEFA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s