Foto: Divulgação/CBFS

Leoas da Serra e Taboão Magnus se enfrentam neste sábado pela final da Supercopa de Futsal Feminino

Com transmissão ao vivo no SporTV, Leoas da Serra e Taboão Magnus se enfrentam neste sábado, às 13h15

As Leoas da Serra recebem o Taboão Magnus, em Lages, para a partida final da Supercopa de Futsal Feminino, neste sábado (24), às 13h15, com transmissão ao vivo do SporTV. A equipe de Santa Catarina venceu o primeiro jogo em março, em Taboão da Serra, de virada, por 2 a 1, com gols de Pão para o time da casa e Diana e Tampa para as Leoas.

Leoas da Serra comemoram a virada em Taboão (Foto: Yuri Gomes/CBFS)

Para conquistar o título, as Leoas precisam apenas de um empate em Lages. Com a vitória do Taboão no tempo normal, a taça é decidida na prorrogação. Se o empate persistir, a final será disputada nos pênaltis.

Teoricamente, a equipe campeã seria a representante do Brasil na Copa Libertadores de Futsal Feminino, que era para ter sido disputada em maio deste ano, na Bolívia. Porém, foi adiada em decorrência da pandemia do coronavírus. Por conta disso, a partida de sábado não valerá mais a vaga para a competição.

Segundo a Priscila Silva, supervisora do Taboão Magnus, os clubes entraram em acordo com a Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS) e o jogo vale, agora, vaga para a Supercopa do ano que vem. Quem vencer não precisará ganhar a Copa do Brasil e nem a Taça Brasil, por exemplo. O confronto de sábado coloca frente a frente a campeã da Taça Brasil (Leoas da Serra) contra a vencedora da Copa do Brasil (Taboão da Serra).

Se por acaso a campeã da Supercopa, que será decidida neste sábado, vencer também a Copa do Brasil e a Taça Brasil, já vai para a Libertadores direto.  

O confronto

Para a Nega, pivô das Leoas da Serra, a vantagem que a equipe possui pela vitória no primeiro jogo não está sendo considerada pelo time. “O nosso foco é a vitória e colocar em prática tudo o que estamos treinando”, explicou ela.

Carol ‘Nega’, pivô das Leoas da Serra (Foto: Fom Conradi)

A equipe de Santa Catarina decidirá a final da Supercopa em casa, fator que a pivô considera confortável para o time. Contudo, devido à pandemia de Covid-19, o ginásio terá de ser com portões fechados, sem a presença da torcida das Leoas.

“Com certeza vamos sentir falta da nossa torcida, que sempre foi um grande diferencial no nosso time”, confirmou Nega, pivô das Leoas da Serra.

O Taboão Magnus está atrás no resultado, porém, no futsal tudo pode acontecer. Para Lorrana, ala do time do interior paulista, a equipe está com a expectativa de fazer um bom jogo contra as Leoas e não só aproveitar as oportunidades como também ser eficiente no setor defensivo.

Lorrana, ala do Taboão Magnus (Foto: Yuri Gomes)

“Vamos com uma postura muito confiante para o jogo, sabemos que apesar da vantagem do adversário o futsal sempre nos reserva surpresas, ainda mais tratando-se do clássico da Serra, que é sempre com emoção”, acrescentou.

Acreditamos fielmente na vitória”, finalizou a ala.

Período de treinamento durante a quarentena e a volta para as quadras

O jogo de ida aconteceu no dia 14 de março, no ginásio José de Sousa Sobrinho, o ‘Zé do Feijão’, em Taboão da Serra. A volta seria no dia 28, porém o Brasil entrou de quarentena por conta da pandemia do coronavírus e a partida teve que ser adiada, assim como todos os treinamentos presenciais, jogos e competições.

As Leoas da Serra e o Taboão Magnus, como muitos outros times, tiveram de fazer os seus treinamentos de modo online durante os meses de quarentena. “No começo foi difícil, porque os treinamentos eram feitos somente por vídeo-chamada e adaptados para o espaço que cada atleta tinha em suas casas”, contou Adriana Tiga, supervisora das Leoas.

“Mas com o retorno das nossas atividades, o foco estava em aplicar uma periodização de treinamento onde foi necessário planejar e estruturar adequadamente cada fase dentro do tempo que temos até a partida decisiva”, acrescentou ela.

Para a ala Lorrana, do Taboão Magnus, esse período de treinamento online foi desafiador e a equipe teve que ter persistência, força de vontade e foco para seguir firme, com a motivação de que teria sim o segundo jogo da Supercopa de Futsal Feminino. “Acreditávamos que haveria o segundo jogo e essa foi a nossa motivação pra continuar com os treinamentos de maneira intensa”, explicou ela.

Lorrana, no primeiro jogo da Supercopa, em Taboão da Serra (Foto: Yuri Gomes)

“Voltar para as quadras me traz felicidade, porque estamos fazendo o que amamos, e desde que retornamos aos treinos presenciais estamos focadas em treinar para esse confronto”, acrescentou a ala Lorrana.

Priscila Silva é a supervisora do Taboão Magnus e, para ela, 2020 é um ano atípico e diferente, mas ainda assim a equipe se preparou muito bem para isso e os treinamentos em Taboão não pararam em nenhum momento. “Voltamos com o treino físico muito antes do que qualquer equipe, seguindo todos os protocolos, e estamos treinando forte para essa final”.

“Fizemos um protocolo de prevenção muito bom com o nosso preparador físico e eu acredito que a maior preocupação com esse retorno seriam as lesões, porém nos preparamos para isso”, acrescentou.

Para ela, a equipe do Taboão conseguiu se adaptar muito bem ao treino online, e a técnica da equipe, Cris Souza, estava a todo instante buscando inovações para os treinamentos. “Ela inovava praticamente toda semana, inventou até brincadeiras. Conseguimos ter uma diversidade de exercícios e atividades bem diferentes que acabou não sendo maçante”, explicou Priscila Silva.

Treinamento da técnica Cris Souza, do Taboão Magnus, durante a quarentena

Segundo Nega, pivô das Leoas da Serra, a equipe de Santa Catarina não parou nem um dia durante a quarentena. Quando estavam sem condições de treinos presenciais, a comissão do time manteve os treinos em casa, e as atletas treinavam a parte física e alguns trabalhos técnicos.

“Retornar ainda esse ano sem dúvidas foi a melhor coisa para a nossa equipe. Pensando futuramente, nós sabemos que as competições que vão acontecer nesta temporada serão muito importantes para nós”, disse ela.

Estamos animadas e nos preparamos bastante para os próximos compromissos. A parte ruim já passou e agora é a hora da parte boa”, concluiu a pivô.

Nega, no primeiro jogo da Supercopa de Futsal Feminino, em Taboão (Foto: Reprodução/Instagram)

Retorno para a TV

A partida entre Leoas da Serra e Taboão Magnus não só é o retorno das equipes para a quadra, como também para a televisão. O jogo irá passar no SporTV, canal fechado do Grupo Globo. Para Priscila, esse fator é um dos que mais pesam para o confronto, pois, segundo ela, as equipes precisam apresentar um “espetáculo”.

“Nós temos que fazer um bom jogo independente de quem vá vencer, levantar a taça. O jogo tem que ser sensacional”, acrescentou.  

Foi muito tempo sem o futsal feminino e sem o conteúdo do esporte na TV, por isso há a expectativa maior dentro da transmissão. “Que esse jogo estoure de audiência”, deseja a supervisora.  

Foto de destaque: Divulgação/CBFS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s