Impasses de um ‘cartoleiro’: Cartola FC vs nosso time. Para qual torcer?

Sucesso no mundo futebolístico, o Cartola FC nos traz questionamentos polêmicos

Um jogo online onde montamos nosso próprio time escalando jogadores dos clubes que pertencem à Série A do Campeonato Brasileiro da vida real. Este é o Cartola FC, game desenvolvido pela Globo que nos dá a oportunidade de ter nosso próprio time a cada rodada e, de acordo com o desempenho dos jogadores selecionados, ganhar ou perder pontos dentro das ligas (espécie de competição dentro do Cartola).

Parece simples, né? E é! Até nos vermos torcendo para nosso rival fazer um gol porque escalamos aquele atacante. E aí, para quem realmente vai nossa torcida? Apenas para nosso clube de coração ou para o time que escalamos naquela rodada?

Este impasse sempre está rondando as redes sociais e é capaz de causar até desentendimentos. Inclusive, há quem odeie o Cartola justamente por este motivo, afinal, antes de jogarmos, jamais teríamos dúvida se queremos que o rival leve gol. Mas não é atoa que o game faz sucesso com milhões de assinaturas: quando você entra, é para ganhar.

Obviamente, queremos que nosso rival perca levando o máximo de gols possíveis, mas no meio deste desejo, pedimos para que o atacante do rival que escalamos faça pelo menos um gol para acrescentar na nossa pontuação. E daí, mesmo sem ser contra nosso time de coração, torcer para um gol de nossos maiores rivais é controverso, doido, como quiser chamar. No mínimo, rimos da situação e seguimos torcendo, mesmo sem saber direito para o quê.

No jogo, existe diversos tipos de cartoleiros: há aqueles clubistas, que montam seu time com base no seu clube do coração (até quando é contra um adversário difícil); há quem arrisque nos jogadores menos populares; há quem arrisque apenas com os próprios palpites dos resultados; há quem passe a semana estudando os jogos e pense em cada nome que irá escolher, entre muitos outros.

Mas até agora ninguém possui a fórmula secreta para mitar no Cartola em todas as rodadas. Um dia você vai bem, no outro vai mal, no outro esquece de trocar os jogadores para a próxima rodada.

Falando por mim, não sei contar quantas vezes fui prejudicada por colocar muitos jogadores do meu clube de coração só porque eu queria muito a vitória ou quantas vezes deixei de colocar um jogador bom do meu rival porque, apesar de saber que ele vai bem, quero que vá mal. Teve até as vezes que me vi torcendo para que ele vá bem e por dois segundos esqueci que é meu rival. Definitivamente, não há explicação.

Talvez a solução seja o equilíbrio. Esquecer o Cartola quando seu time está dentro de campo, mas na hora de escalar, deixar o clubismo de lado pode ser uma alternativa. O que você acha sobre o jogo? Quais são os seus métodos? Vale pensar e repensar, afinal, nossa paixão que não muda é de quem está conosco em toda época do ano, em toda competição, não apenas na nacional!

Observação importante: O Rainhas do Drible possui uma liga! Chame seus amigos e entre na brincadeira junto conosco! Liga: Rainhas do Drible FC

Foto de destaque: Ágata Luz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s