Yanne Camille, a goleira de 17 anos que impressionou todos no sábado

Na partida entre Vitória e Internacional, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro A1, uma garota de 17 anos impressionou a todos pelas suas belas defesas. Yanne Camille Lopes Fonseca é o nome dela, a melhor jogadora do time baiano em campo. 

“Fiquei surpresa no fim da partida com a quantidade de mensagens de pessoas me elogiando. Não só familiares ou amigos, mas pessoas que eu não conheço e até mesmo outras atletas que viram minha atuação e vieram me parabenizar. É muito gratificante ler essas mensagens, me dão mais motivação para treinar e evoluir cada vez mais, sempre melhorando para a partida seguinte, é uma honra!”, contou sobre o momento. 

Mesmo tomando três gols na partida, Yanne evitou tantos outros. Infelizmente, o time do Vitória não oferece tantas condições, mesmo assim a goleira se esforça muito para aprender as coisas. 

Yanne começou há pouco tempo no futebol feminino, as coisas aconteceram muito rápido para ela. “Foi algo, de certa forma, inesperado. Do nada eu estava fazendo uma peneira e duas semanas depois viajando com o time sub-16. Foi algo que me surpreendeu”.

A goleira já tem noção do local em que está e como sua posição, infelizmente, é ingrata. Os goleiros, geralmente, são os primeiros que chegam no treino e os últimos que saem. É uma posição que precisa de muita dedicação. 

A posição de goleira, de fato, exige muita cabeça e confiança para atuar. Não é só treinar e jogar, é ser uma treinadora em campo, é falar onde e o que melhorar, pois só você tem a visão completa de jogo, é saber se comunicar com o time o tempo todo e, ao mesmo tempo, concentrar nas bolas que chegam na meta. É ter cabeça pra, se tomar gol, manter o time ativo e não desanimar, é também dar energia quando o time está cansado”.

Yanne e o esporte 

Eu defino o futebol como meu ponto de paz. Quando eu preciso relaxar a mente, desestressar ou esquecer do mundo, o futebol é a única coisa capaz de me desligar da vida. E acho que parte disso veio da minha família, sempre gostamos de esporte”. 

A maioria das goleiras tem a mesma história, e Yanne faz parte dessa porcentagem. Ela jogava futsal antes de ir para o campo, jogava na linha, era ala esquerda. Em um momento dessa trajetória, Yanne foi fazer uma peneira no Vitória para o sub-16, como zagueira, e passou. 

O time todo do sub-16 viajou para uma partida contra o São Paulo e, para esse jogo, o Vitória precisava de uma goleira. Yanne prontificou-se, entrou no gol e não saiu mais. Ela ainda não tinha realizado nenhum treinamento específico, mas entrava algumas vezes nos treinos normais e nas partidas fora do time. 

Apesar de ter ficado pouco tempo na base do Vitória, a participação no Campeonato Brasileiro sub-16 foi algo que pôde me ajudar a construir confiança no gol, é uma posição que você vai de herói a vilão em questão de minutos. A base ajudou no meu amadurecimento, saber suportar pressão e, acima de tudo, saber manter a calma diante dos acontecimentos da partida”. 

A base é algo muito importante para o esporte, ela forma. Dessa maneira, a jogadora pode ser utilizada no futuro e ser uma atleta melhor. No gol, isso é ainda mais importante, pois há todo um treinamento específico.

Quando subiu para o time profissional do Vitória, Yanne começou a trabalhar com Felipe, seu treinador específico. “O Felipe me ajuda sempre! No intervalo da partida, a primeira pessoa que procuro é ele, que está de olho em tudo pra poder me auxiliar e corrigir possíveis erros”. Ele ajuda Yanne com uma visão diferente do campo, até mesmo do treinador.

“É realmente uma sensação incrível poder ser titular jogando o Brasileiro A1 aos 17 anos”. O time confia em Yanne, e isso ajuda ela dentro de campo. Mesmo assim, a garota se pressiona muito para melhorar a cada dia mais, afinal, ela ainda pode aprender muito. 

O futuro da camisa 12 

Tendo inspiração na goleira Aline Reis, Yanne idealiza uma chance na Seleção Brasileira e, quem sabe, poder jogar uma Champions League feminina. 

A convocação pra Seleção é o sonho de toda atleta, da base ao profissional, do masculino ao feminino. É ter seu trabalho reconhecido, é um resultado por cada gota de seu suor, é atingir a meta máxima. Eu tenho planos e sonho com a primeira convocação, mas sei que ela não virá do nada. Treino todos os dias como se fossem jogos, sempre dando meu melhor e indo até o fim, uma hora eu vou ter minha chance e, quando ela chegar, vou estar preparada para dar meu melhor lá também”. 

Ela acredita que sempre há uma maneira de melhorar e aperfeiçoar a sua técnica. Para isso, Yanne está consciente de que precisa treinar e se dedicar cada dia mais. A faculdade também é algo que encanta a garota de 17 anos, ela gostaria de conciliar os estudos com o campo. 

Quando questionada de como se vê daqui 15 anos, Yanne só deseja seguir seu sonho! 

Eu realmente espero que ela esteja feliz e realizada, independente de qualquer coisa. Quero que ela consiga o que deseja e que inspire muitas meninas a seguirem seu sonho e sua paixão”. 

Foto de destaque: João Aurélio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s