Listamos alguns motivos para você assistir a Seleção Feminina Brasileira neste domingo

A Seleção Brasileira Feminina entra em campo neste domingo contra o Estados Unidos. A reprise do jogo vai além da conquista do ouro e nós listamos os motivos

Poucas pessoas conhecem de fato toda a história da Seleção Feminina de Futebol. Muitos acabam sempre associando sempre à Marta, Cristiane e Formiga, e não está errado, mas vamos combinar que uma seleção tem ao menos 11 jogadores em campo, fora as reservas e não podemos delimitar a isto.

No próximo domingo (10), a TV Globo irá reprisar a final do futebol feminino nos Jogos Pan-Americanos de 2007, que para aqueles que não lembram ou simplesmente desconhecem, foi a melhor seleção da história e nós vamos listar por quê.

Conquistaram espaço

Não foi fácil para elas ter que disputar atenção com outras modalidades, no futebol a preferência sempre foi para o masculino, e quando acabava os ingressos elas eram a segunda opção. 

O espaço na mídia e no coração da torcida era pouco, mas bastou a seleção masculina ser eliminada para aumentar a expectativa e atenção para elas, que conseguiram e chegaram até a final. Depois disso, o futebol feminino começou a ganhar alguns olhares, aos poucos foi tomando a proporção que virou hoje e ainda o que se tornará no futuro.

Grande público

Com cerca de 70 mil pessoas no Maracanã na final, as jogadoras quase não conseguiram segurar a emoção e vibraram por ter um grande volume de pessoas torcendo pelo futebol feminino, pela causa e por toda luta que elas fizeram para chegar na final. O número alto de telespectadores no estádio, foi o pontapé para que elas buscassem ainda mais valorização na modalidade.

Campanha histórica

Com uma campanha histórica de 33 gols marcados e nenhum sofrido, o Brasil goleou na final contra a forte e favorita equipe dos Estados Unidos. Com a primeira fase impecável nos jogos do Rio de Janeiro, a seleção canarinho estreou com vitória de 4 a 0 no Uruguai, fez 5 na Jamaica, faturou um 10 a 0 no Equador e ainda fez um 7 a 0 contra outra grande favorita: a Seleção Canadense. 

Na semifinal o Brasil encarou o México em um jogo que intrigou muitos torcedores. Por não facilitar para as brasileiras, o jogo foi um dos mais difíceis. Mas, a lateral Rosana (atual jogadora do Palmeiras) abriu o placar e garantiu a vaga para a final.

Imagem: Daneil Garcia/ Getty Imagens

Valorização do futebol nacional

O futebol feminino em 2007 não era tudo isso que se tornou hoje. As atletas tinham que atuar fora do país para ter um calendário regular de jogos, caso contrário não se tinha uma grande rotatividade e nem mesmo uma boa estrutura para treinos e disputas. 

Na ocasião, muitas citaram que necessitavam de apoio e que até desejavam jogar no Brasil, mas que nunca houve uma valorização do futebol nacional e isso impedia de seguir jogando no país, outras até acabaram desanimando justamente por isso.

Hoje, nos deparamos com equipes fortes no Brasil, muitas atletas retornaram para jogar e apoiar também os clubes brasileiros. Entre os clubes, os paulistas são os grandes destaques, até pela estrutura e apoio da federação local comandada também por uma ex-jogadora da seleção: Aline Pellegrino, que jogou o Pan em 2007.

O Jogo

É claro que não iremos dar spoilers por aqui, mas podemos adiantar a escalação da melhor Seleção Brasileira de todos os tempos até então.

No gol não passava nada com Andréia Suntaque, e a zaga composta por Aline Pellegrino, Renata Costa e Tânia facilitava ainda mais o trabalho da goleira, que era fora de série. Nas laterais, Elaine e Rosana faziam o papel com perfeição. No meio campo, a seleção canarinho contou com Daniela Alves, Formiga, Maycon e Marta, e no setor ofensivo tinha nada mais nada menos do que Cristiane. Quem comandou essa equipe no foi o técnico Jorge Barcellos.

As atletas Kátia Cilene e Pretinha substituiram Rosana e Cristiane respectivamente, e no banco ainda tinha Bárbara (goleira), Simone Jatobá (lateral), Daiane (zagueira), Ester (meio-campista) e Grazielle (atacante).

A goleada histórica de 5 a 0 contra os Estados Unidos tem muitos motivos para ser reprisada, mas o maior motivo vai além disso, é sobre entender a questão da valorização e apoio do futebol feminino. Em 2007, isso era quase inexistente e hoje temos recordes de torcida no Brasil, transmissão de jogos e até mesmo patrocinadores. O Brasil foi campeão dentro de campo, mas fora dele a conquista foi muito maior.

Imagem: CBF/reprodução

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s