Noite de tradição

Com quase 40 mil pessoas na arquibancada, o São Paulo venceu a LDU em grande estilo no Morumbi, pela segunda rodada do Grupo D da Libertadores

Tricampeão da Libertadores, o Tricolor paulista tem uma grande história na competição sul-americana. Com 20 disputas ao longo do tempo, o São Paulo é o quarto time com mais gols marcados na competição, com 279, sendo o clube com o maior número de vitórias: 90.

A década de 90 foi o auge do clube paulista, que acabou despertando em outros clubes brasileiros o desejo de conquistar a taça continental. Com dois títulos ganhos em 92 e 93, além do Mundial de Clubes, os rivais começaram a demonstrar cada vez mais interesse pelo torneio sul-americano.

Pela desvalorização da competição na época, o São Paulo foi se destacando entre os brasileiros, se tornando um time de tradição. Não só por isso, o Tricolor paulista foi ganhando força ao longo da competição, disputando seis finais e sendo campeão de três,  além de mais quatro anos ficando entre os quatro melhores colocados (1974, 1994, 2006). Não à toa, o São Paulo se tornou um dos grandes times da Libertadores.

Foto: Reprodução/Blog Soberano Arruda

Como é dito no hino do clube, as tuas glórias vêm do passado. O São Paulo vem de um histórico ruim de títulos, e na Libertadores isso tem sido percebido com muita facilidade. Os torcedores, mesmo apoiando a equipe, cobram resultados da competição que era a cara do time, mas sabemos que historicamente o Tricolor só joga bem dentro de casa. 

Para se ter ideia, a última vitória fora de casa do São Paulo foi contra o Danubio, no Uruguai, em 2015. O aproveitamento é baixo, chegando a 34,8%, sendo que dos 92 jogos, foram 22 vitórias, 30 empates e 40 derrotas. E com a inspiração do  famoso ditado “em casa a gente resolve”, o Tricolor tem, entre os clubes brasileiros, o melhor aproveitando de pontos na Libertadores, com 79,5%. 

O Tricolor voltou

Com um breve histórico na competição sul-americana, deu para entender o motivo pelo qual ontem a noite era de São Paulo, né? Jogando em casa, com o estádio cheio, o clube paulista se impôs diante do rival equatoriano, marcando três vezes com Reinaldo, de pênalti, Daniel Alves e Igor Gomes.

O resultado foi importante para acabar com a desconfiança gerada pela derrota fora de casa, na virada para o Binacional, do Peru. Mas o São Paulo tem um longo caminho pela frente, enfrentando, no próximo jogo, o primeiro colocado da chave que goleou por 8 a 0: o River Plate.

Com o jogo sob o comando Tricolor, historicamente, aumenta-se a chance de uma vitória, mas sabemos que o River é outro time que tem a cara da competição, o que indica um jogão na próxima terça-feira (17), no Morumbi.

Depois desse confronto, o São Paulo jogará no Equador, contra a LDU, e depois na Argentina, contra o River, sendo o último jogo da chave no Morumbi, contra o Binacional. 

O torcedor são-paulino espera que o time mantenha o ritmo do jogo desta última quarta-feira (11), e que faça da casa dos adversários a sua nova casa. Até lá, o time comandado por Fernando Diniz deve treinar, principalmente, a pontaria para ter ainda mais chances de gols. 

Foto: Nelson Almeida/AFP/CP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s