Especial região Centro-Oeste: conheça mais sobre sua própria Copa

A Copa Centro-Oeste não acontece há 18 anos; Veja como funcionava e quais foram as equipes participantes

Há tantas histórias dentro do futebol que, por vezes, algumas passam despercebidas, principalmente para a nova geração de amantes do esporte. Competições que não existem mais, times que hoje estão fora de um cenário nacional, mas que antes já brilharam muito, entre outras.

Quem se lembra da Copa Centro-Oeste? Quem já ouviu falar sobre o campeonato? Aposto que muitos não se recordavam ou até mesmo não a conhecem. Mas estamos aqui para relembrar a competição com um peso gigantesco dentro do futebol, então lá vem história.

A Copa Centro-Oeste foi um torneio regional criado para definir representantes para a Copa dos Campeões Brasileiros, competição que determinaria o quarto representante do Brasil na Taça Libertadores da América.

Porém, só foram realizadas quatro edições, de 1999 a 2002. Na primeira, em 1999, além de equipes pertencentes à região Centro-Oeste, participaram equipes do Tocantins, Espírito Santo (com apenas um representante) e de Minas Gerais. Mas com a criação da Copa Sul Minas, em 2000, as equipes mineiras deixaram de participar do torneio.

Desde sua primeira edição, o campeonato contou com a presença de 20 equipes. São elas:

Vila Nova (4x), Gama (3x), Goiás (3x), Juventude-MT (3x), Comercial-MS (2x), Interporto (2x), Palmas (2x), São Mateus (1x), Serra (1x), América-MG (1x), Anapolina (1x), Atlético-MG (1x), Bandeirante (1x), Brasiliense (1x), Cruzeiro (1x), Dom Pedro (1x), Ivinhema (1x), Operário FC-MT (1x), Ubiratan (1x), Villa Nova (1x).

No primeiro ano, o triunfo foi para uma equipe mineira: o Cruzeiro consagrou-se campão sobre o Vila Nova, vencendo os dois jogos com placares respectivos de 3 a 3 e 1 a 2, e empatando em 0 a 0 o terceiro jogo.

O Vila Nova é o clube recordista em participações: quatro no total. A equipe goiana participou de todas as edições da competição, sendo vice-campeã três vezes. O maior campeão foi o Goiás, também goiano, com três títulos consecutivos.

A competição também foi recheada de goleadas. A maior delas foi no dia 02 de março de 2002. O Esmeraldino balançou as redes da equipe Serra, do Espirito Santo, por nove vezes. Mas outras goleadas também aconteceram. Confira:

24/03/1999 – São Mateus (ES) 8 a 0 Ivinhemense (MS)
07/02/2001 – Goiás 6 a 3 Serra (ES)
13/02/1999 – Interporto (TO) 1 a 6 Vila Nova (GO)
14/02/2001 – Bandeirante (DF) 1 a 6 Goiás
19/01/2002 – Juventude (MT) 1 a 6 Gama (DF)
09/03/2002 – Vila Nova (GO) 6 a 1 Palmas (TO)

O maior artilheiro foi o atacante, hoje aposentado, Editácio Vieira de Andrade, mais conhecido como Dimba, com 15 gols. A lista ainda conta com:

2001 – Dill (Goiás), com 10 gols;
2000 – Fernandão (Goiás), com 10 gols;
1999 – Paulo Isidoro (Cruzeiro), com 6 gols.

Mas e aí, você acredita que a competição deveria retornar?

Foto: Reprodução/Placares Cruzeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s