Diferentes rendas que o futebol traz

Hoje, além de um esporte, o futebol também é negócio. Não precisamos nem falar de números exatos ou todas aquelas porcentagens, basta notar as pequenas diferenças que aconteceram no cenário futebolístico.

Antes, a fonte de renda dos principais clubes do país se concentravam nas cotas de TV. Hoje não é bem assim. Os estádios, por exemplo, antes um local de lazer para os torcedores se divertirem. Hoje, uma das maiores fontes de rendas para os clubes.

Com ingressos caros, estacionamento, lugares para alimentação, os estádios pelo Brasil a fora, deixaram de servir apenas para o entretenimento, E se tornaram mais uma fonte de renda.

O estádio mais popular do país, o Maracanã, é um belo exemplo. Além de comportar os jogos, consegue ser ponto turístico do Rio de Janeiro pra quem vem de fora, e ainda é alugado para shows. Como não gerar renda dessa maneira?

Vendas de produtos como camisas, bonés, copos e outros mais, também geram lucros para os cofres dos clubes. Mas, e para o torcedor, será que o futebol também é um negócio?

Foto: Reprodução

Podemos pegar o exemplo de bares e restaurantes em dias de jogos, eles lotam. Em dias de clássicos, ainda mais. Esses estabelecimentos conseguem ganhar dinheiro com torcedores sem nem mesmo ter algum vínculo concreto com o clube.

O Brasil foi o país sede da Copa do Mundo de 2014, das olimpíadas e paralimpidas em 2016. Com esses eventos ouve crescimentos e quedas em áreas distintas. Por exemplo, Segundo a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), a produção de cervejas teve um aumento em 25% .

O fato é que, o futebol consegue sim movimentar grandes áreas do país. Seja você empresário ou apenas torcedor. E a tendência é só aumentar.