O futebol também celebra o Dia da Consciência Negra

No dia 20 de novembro é comemorado o Dia Nacional da Consciência Negra, data que traz uma reflexão sobre a cultura africana no Brasil

O Dia Nacional da Consciência Negra tem como principal foco abordar temas como o racismo, a discriminação e a cultura afro-brasileira. A data escolhida refere-se ao dia em que Zumbi dos Palmares morreu e deixou um legado eterno a toda sociedade brasileira.

Foto: Reprodução/ Mundo Afro

No futebol, o racismo ainda é um obstáculo recorrente que alcança desde as arquibancadas até os jogadores em campo. Apesar do Brasil ser um dos países mais miscigenados do mundo e o rei do futebol ser negro, o preconceito permanece enraizado na cultura brasileira e reflete inclusive no futebol, esporte conhecido por facilmente unir a população.

O cenário é revoltante, antiquado e triste. Por isso, para lembrar da importância do Dia da Consciência Negra, diversos clubes do Brasil se manifestaram sobre a data.

Por meio das redes sociais, os clubes deixam mensagens por meio de vídeos, publicidade e até mesmo ações dentro de campo.

O Bahia, Corinthians, Fluminense, Grêmio, São Paulo e Botafogo produziram vídeos sobre o tema. Os teasers tinham desde depoimentos de jogadores até notícias do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o assunto.

Enquanto isso, clubes como o Atlético Mineiro, Cruzeiro, Flamengo, Fortaleza e Vasco se manifestaram por meio de publicidades que continham desde fotos de grandes jogadores negros do time até campanhas com dados alarmantes sobre o tema ou frases de impacto. O Flamengo, por exemplo, deixou o símbolo preto e branco com a frase “Sou rubro. Sou negro. Não basta não sermos racistas, temos que ser antirracistas”.

O Santos, por sua vez, fez diversos posts ao longo do dia, relembrando a ação com as camisas que os jogadores vestiram na última partida. Na ocasião, a numeração do uniforme dos jogadores apresentavam dados sobre o preconceito.

Pela pluralidade cultural, precisamos dar um basta ao racismo. O preconceito não faz parte do esporte e a única maneira de combater a situação é unindo forças. Mas vale ressaltar que o combate ao preconceito não deve acontecer somente neste período: o debate deve ser lembrado de novembro a novembro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s