Quem tem casa, joga em casa, menos as meninas?

Vasco da Gama enfrenta o Fluminense pela semifinal do Campeonato Carioca Feminino, mas o time da casa não vai jogar em seu estádio

Quem tem casa, joga em casa, menos as meninas. Parece algo de outra década, né? Mas ainda é a realidade do futebol feminino brasileiro.

Não é novidade que jogar no estádio de seu clube é muito importante para os atletas em qualquer partida, principalmente em momentos que valem classificação.

No futebol masculino, não jogar em casa ou jogar sem torcida representa alguma punição por indisciplina. Já para as mulheres, passar para a semifinal do campeonato regional não é o suficiente para usar seu mando de jogo em casa, no estádio de seu clube.

Invicto no campeonato carioca, o time feminino do Vasco da Gama irá disputar a semifinal da competição contra o Fluminense. O jogo será amanhã (26), às 10h, mas diferentemente da vontade da torcida e do time, a partida será no estádio Nivaldo Pereira, em Nova Iguaçu.

Neste campeonato, os jogos com mando do Vasco aconteceram no estádio Nivaldo Pereira, em Nova Iguaçu, como acontece com os times masculinos da base. Mas quando se fala de uma partida que antecede a final do campeonato, se esperava que a torcida e as jogadoras pudessem contar com o apoio de casa.

Pensando nisso, as meninas do movimento “Vascaínas contra o assédio” lutam pelo direito de jogar e torcer em casa. Diversas manifestações reivindicam para que a primeira partida da semifinal entre Vasco e Fluminense seja no principal campo do Vasco, o estádio São Januário.

Até o momento, o jogo continua no estádio Nivaldo Pereira, mas o espírito de preconceito também continua nos rondando. A pergunta é: até quando?

Nossa missão neste cenário

As mulheres não param de alcançar metas gigantes, algumas inclusive nunca atingidas por homens, mas o futebol feminino ainda sofre com o preconceito enrustido na falta de divulgação. Não posso deixar de afirmar que achar informações para fazer esta matéria foi difícil. Na imensidão da internet, ainda são escassas os dados relacionados a campeonatos femininos e as mulheres dentro do futebol. A realidade é triste, mas este cenário ainda será alterado. Afinal, nós do Rainhas do Drible estamos aqui para isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s