Mais um caso de racismo na Uefa

Partida entre Bulgária e Inglaterra foi paralisada duas vezes por conta de atitudes racistas

Na última segunda-feira (14), ocorreu a partida entre Bulgária e Inglaterra, válida pela oitava rodada da eliminatória para a Eurocopa 2020. Com a goleada de 6 a 0 da Inglaterra, o resultado não foi o anormal da partida, mas sim os atos racistas vindos de uma pequena parte da torcida búlgara.

Durante quase todo o primeiro tempo de jogo, torcedores búlgaros entoaram cânticos racistas em direção a alguns jogadores (negros) da seleção inglesa, entre eles os atacantes Marcus Rashford, Raheem Sterling e o zagueiro Tyrone Mings. Além disso, esses mesmos torcedores realizaram saudações simbolizando ao nazismo.

Foto: Reprodução

O capitão da Bulgária, Ivelin Popov, se dirigiu à torcida e pediu respeito. Curiosamente, esse mesmo jogador havia sido garoto-propaganda de uma ação búlgara no final de semana anterior pedindo o fim da discriminação nos estádios de futebol.

Mas, infelizmente, isso não foi suficiente, pois os atos racistas prosseguiram. Aos 28 minutos da primeira etapa, o sistema de som do estádio pediu para que os atos cessassem, conforme a primeira regra do protocolo da Uefa em casos como esses.

A arbitragem precisou tomar atitudes mais rígidas e interrompeu a partida durante seis minutos, após intervenção do treinador inglês Gareth Southgate. Com o segundo aviso, torcedores que estavam cometendo os atos racistas decidiram deixar o estádio ainda proferindo diversos insultos.

Sobre o ocorrido, a UEFA não se pronunciou. Entretanto, a entidade tem realizado campanhas pedindo respeito durante os jogos de futebol. Inclusive, vale ressaltar que a UEFA já havia aprovado diretrizes oficiais para ajudar os árbitros a lidar com incidentes de racismo no interior dos estádios numa reunião realizada em 2009, na Lituânia.

Foto: Reprodução/Uefa

O protocolo da UEFA é composto por três passos: 1) Se o árbitro perceber algum comportamento racista, ou for informado pelo quarto árbitro, deverá interromper o jogo. 2) Se o comportamento racista prosseguir após o reinício do jogo, o árbitro deve suspender o encontro por alguns minutos. 3) Como último aviso, se o comportamento racista continuar após o segundo reinício, o árbitro poderá dar definitivamente o jogo por terminado.

Para esse jogo entre a Bulgária e a Inglaterra, o árbitro fez uso do passo um e dois para lidar com a situação.

No campo, a Inglaterra deu o seu show e venceu ainda no primeiro tempo com o placar de 4 a 0, completando a goleada no final.

Que atitudes lamentáveis como essas não voltem a acontecer dentro do cenário futebolístico e também fora dele. Mais respeito, por favor.

Um comentário sobre “Mais um caso de racismo na Uefa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s