Vascaínas sofreram assédio e ameaças de morte via WhatsApp

No começo da semana, o que chamou a atenção de algumas pessoas no Twitter, foram algumas torcedoras do Vasco reunindo depoimentos de mulheres que sofreram ameaças de um vascaíno que se identifica como Matheus, que as persegue pelas redes sociais com xingamentos e até ameaças de morte.

A ideia é denunciá-lo na delegacia de crimes cibernéticos do Rio de Janeiro para tentar finalmente obter justiça. Segundo relato das torcedoras, desde março Matheus vem agindo da mesma forma. Ele cria grupos de WhatsApp, chama a torcida do Vasco através das redes sociais e, quando as mulheres entram, ele pega os contatos delas para começar diálogos no privado. Então, ele começa uma aproximação, dizendo que está apaixonado e, quando recebe uma negativa ou acaba contrariado, começa com os xingamentos: “Vagabunda”, “piranha”, “vou te matar”, “vai ser estuprada”, “vou beber teu sangue”. Essa é uma sequência comum de ataques que pelo menos três mulheres relataram. Elas já somam dezenas de depoimentos que serão levados à delegacia nesta semana.

O blog Dibradoras tentou entrar em contato com Matheus, mas o número deu sempre na caixa postal. Uma das vascaínas disse que ele costuma mudar de telefone e de conta no Twitter sempre para poder começar novos grupos e se livrar dos bloqueios das mulheres.

Por causa desses relatos, alguns vascaínos tentaram tirar satisfação com Matheus e também ouviram xingamentos. No último fim de semana, em um jogo da equipe sub-20 do Vasco, o autor das ameaças acabou cercado e teve de ser levado pelos seguranças.

Um dos torcedores contou à reportagem que já foi a jogos com Matheus, após tê-lo conhecido em grupos de WhatsApp, e que ele sempre agia como uma pessoa normal. Porém, depois de saber da atitude dele com as torcedoras, ele chamou a atenção do autor das ameaças, que passou a também xingá-lo pelo aplicativo até bloqueá-lo.

Foi então que nesta semana, algumas torcedoras resolveram começar uma mobilização pelo Twitter para reunir todos os casos de ameaça e xingamentos provocados por Matheus para levar à delegacia de crimes cibernéticos. Elas já têm em mãos dezenas de prints, que tem sempre o mesmo “modus operandi”: começa a conversa normalmente até que, quando ouve algo que não gosta, reage com a sequência de xingamentos e ameaças.

Foto: reprodução/Twitter

Segundo o especialista em direito digital da ASBZ advogados, Guilherme Braguim, Matheus pode ser denunciado por dois crimes: o de injúria contra a honra o de ameaça. Ambos têm previsão de pena de seis meses a um ano de detenção.

“Ele é identificado, as pessoas sabem que ele é, não é um perfil falso. Com isso, já fica mais fácil. A gente precisa reunir provas, o máximo de informações que existem, tudo que vincule a ele e mostre os crimes que ele está praticando. O principal aqui é a injúria, está ofendendo a honra das pessoas por motivos fúteis. Elas podem levar à delegacia ou então direto a um advogado, porque aqui cabe uma ação privada, ou seja, basta o ofendido iniciar uma ação penal, não precisa ter uma investigação policial antes”, explicou o advogado.

“Aí tem crime de ameaça também. É um crime de menor potencial ofensivo, pode ser resolvido no juizado de pequenas causas, é um crime um pouco mais fraco. Podem levar à delegacia ou ao Ministério Público. Os dois têm a mesma pena de um a seis meses de detenção ou multa e ele pode ser condenado pelos dois. Ele está tentando causar um mal desnecessário a uma pessoa. Além disso, elas podem também tentar uma reparação indenizatória pela via civil. E podem tentar obter também uma ordem judicial para impedi-lo de ter contato com elas – a pena se isso acontecer é uma multa. É uma forma de desestimular a continuação da conduta”, esclareceu.

Diante da mobilização de torcedoras nas redes sociais, outros vascaínos começaram a se manifestar em defesa delas.

“Esse rapaz que apanhou ontem em São Januário e fica xingando as minas na internet tem todos os traços de maluco. Não me parece que ele vá levar as ameaças que faz adiante, mas é sem dúvida um cara perturbado pela rejeição feminina. Uma pessoa que certamente precisa de terapia”, disse um deles em uma postagem.

As torcedoras levaram os prints de xingamentos e ameaças que sofreram nesta semana na delegacia de crimes cibernéticos.

Me parece que a inclusão digital trás seus malefícios, uma pessoa como essa – e sinceramente não deve ser a única – assedia mulheres sem nem pensar nas consequências. Por isso ele deve pagar sim, por tudo o que fez e não somente ele, mas todos que usam da tecnologia para se esconder e assediar mulheres. Assédio é crime, seja pessoalmente e/ou pela internet.   

Foto: Lance

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s