Cruzeiro demite Rogério Ceni após crise no vestiário

Chegou ao fim a curta passagem do técnico Rogério Ceni pelo Cruzeiro. Após reunião com Itair Machado, vice-presidente do clube, no início da noite desta quinta-feira (26), o treinador foi demitido menos de dois meses após sua chegada.

A gota d’água foi a discussão no vestiário depois do empate sem gols com o Ceará na quarta-feira, no Castelão. A TV Verdes Mares, afiliada da Rede Globo em Fortaleza, confirmou, ainda na noite da partida, que Rogério Ceni teve uma conversa com o vice-presidente, que sugeriu que Ceni pedisse demissão, porém ele recusou.

O clube, no entanto, preferiu não comentar o assunto.

Vamos aos fatos. Após o empate com o Ceará, Dedé pediu a palavra, discordando da escalação escolhida por Rogério Ceni para o jogo. O zagueiro afirmou que o meia Thiago Neves deveria estar no time.

O técnico não gostou do questionamento, deixou o vestiário e saiu do Castelão antes da delegação cruzeirense. A informação foi publicada pela Rádio Itatiaia e confirmada pelo Globo Esporte.

Questionado na entrevista coletiva sobre o jogador, que viajou com o time para Fortaleza, mas ficou no banco de reservas, Ceni explicou a opção por um meia de velocidade e disse que levará em conta quem for melhor nos treinos da semana e tiver “mais brilho no olho”.

“O Thiago (Neves) é uma opção. É um bom jogador, de muita qualidade técnica, mas naquele momento a preferência era por dar mais velocidade, com o Mauricio, um jogador de boa chegada, que entrou contra o Vasco e decidiu o jogo para nós”, disse o técnico aos jornalistas.

Lembrando que na eliminação na Copa do Brasil para o Inter, Thiago Neves questionou a escalação de Ceni. No jogo seguinte, com a derrota para o Grêmio por 4 a 1 em Belo Horizonte pelo Campeonato Brasileiro, o treinador falou sobre a necessidade de “fazer mudanças drásticas no Cruzeiro”.

Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

Situação ruim na tabela

O Cruzeiro está na 17ª colocação na tabela de classificação do Brasileirão, com 17 pontos, entrando na zona de rebaixamento. Rogério Ceni assumiu o Cruzeiro em 11 de agosto e, até o momento da demissão, comandou a equipe em oito jogos.

Foram duas vitórias, dois empates e quatro derrotas. A Raposa não vence há cinco partidas. Empatou com o Ceará na última rodada e, antes, perdeu para Flamengo, Palmeiras, Grêmio e Internacional, este último pela Copa do Brasil.

Ceni chegou a fazer uma proposta para a diretoria do Cruzeiro, em troca da sua permanência no cargo. Ele estava disposto a abrir mão do seu salário, até garantir que o clube permaneceria na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Porém, a diretoria foi irredutível e desligou o treinador.

Rogério Ceni deixa o Cruzeiro despertando sentimentos opostos entre torcida, jogadores e diretoria. Isso ficou muito claro no desembarque da delegação em Confins, algumas horas antes do treinador ser demitido. A maioria dos torcedores presentes no aeroporto demonstraram apoio ao comandante.

Porém, por outro lado, criticaram e pediram a saída de membros da diretoria e de jogadores como Thiago Neves, maior pivô da crise que acompanhou a curta passagem do técnico pelo clube.

Esse fator que se instalou no Cruzeiro está tomando proporções enormes, difícil de esconder. É uma pena ver um clube tão grande desse jeito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s