A relação do futebol com a cultura no Brasil

A cultura do futebol refere-se aos aspectos culturais por meio dele. Não apenas ao jogo em si, mas a tudo o que faz relacionar com a sociedade em sua volta.

E os futebolistas, principalmente no alto nível, se tornam grandes astros mundiais e modelos para a sociedade, tanto como profissional quanto como pessoa.

O esporte, trazido da Inglaterra pelas elites, se firmou na população que tomava as cidades. Tornou-se um elo entre as pessoas. Mais do que isso, ajudou a quebrar barreiras sociais e raciais, nas arquibancadas e nos campos.

A partir da década de 1930, o futebol viveu sua grande expansão. Isso aconteceu graças à campanha na Copa de 1938, quando o brasileiro representou sua grandeza para o resto do mundo.

O profissionalismo também abriu as portas para ídolos negros. Ao mesmo tempo, surgiam os primeiros estádios de multidões, como São Januário e o Pacaembu. E o Estado Novo fazia o esporte em geral, mas o futebol se tornou ferramenta política.

Diante de sua importância aos brasileiros, o futebol tem uma representação nas artes nacionais até menor do que poderia citar. Ele se faz presente na literatura, no cinema, na dramaturgia, na música e nas artes plásticas, por exemplo.

Podemos, assim, dar alguns exemplos de como esse esporte pode estar diretamente ligado à cultura brasileira. Na literatura, temos Febre de bola (1992), que é um livro fundamental para quem gosta da leitura e é apaixonado por futebol. Nick Hornby, autor do livro, conta como o amor pelos Gunners é o que guia a sua vida, deixando claro que é o Arsenal o refúgio das coisas ruins ou medíocres que ocorrem com ele.

Já no cinema, o filme Heleno (2012) conta a história do jogador Heleno de Freitas. Os relatos se passam em preto e branco, e usa o futebol para mostrar a biografia do craque brasileiro. Na música, temos uma partida de futebol, do Skank, que ganhou o prêmio de escolha da audiência em 1997, com o Clip Pop e de edição no MTV Vídeo Music Brasil.

Temos nas artes plásticas o quadro de Francisco Rebolo Gonsales (1936), que retrata a diversidade no esporte. Até mesmo na dramaturgia, o futebol esteve presente em um grande sucesso da Rede Globo de televisão, Avenida Brasil, que contou um pouco da história de um atleta.

Tem como dizer que futebol não é cultura?

Foto: Folha UOL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s