A evolução do futebol feminino no interior de Goiás

Ver o futebol feminino evoluir é o sonho não só do novo cenário nacional, mas também local. As constantes lutas contra o preconceito, a falta de recursos e o amadorismo do esporte são as maiores dificuldades encontradas pelo caminho. Elas continuam, sobretudo, por amor à bola rolando.

Em Anápolis (GO), esse sonho não foi diferente. O Anhaguera Futebol Clube é a primeira equipe feminina profissional da cidade. O time surgiu depois de 64 anos no futebol amador local, e vários títulos na Liga Anapolina de Desportos.

De acordo com o vice-presidente executivo do Leão do IAPC, Warditon Dutra, o projeto pioneiro iniciou em 2016, quando assumiram o Anhanguera, e de lá pra cá foram organizando a documentação, conseguiram a filiação na Federação Goiana de Futebol (FGF) e iniciaram os trabalhos, visando a disputa do Goianão Feminino 2019. Além disso, também há o objetivo de disputar o Campeonato Brasileiro A2 nos próximos três anos.

Em conversa comigo, Janayna Carvalho, o vice-presidente contou alguns pontos importantes em relação à equipe do Anhanguera. Confira:

Qual a maior dificuldade encontrada nesse percurso de organização?
Com certeza é encontrar apoio financeiro e parceiros para ajudar a custear todas as despesas que tivemos, que saíram, na sua totalidade, de recursos próprios dos membros da diretoria.

A prefeitura da cidade oferece algum tipo de apoio?
Através do Prefeito e do Vereador Dominguinhos foi proposto um projeto de emenda na lei da torcida premiada, e foi aprovada por unanimidade na Câmara. Temos um valor junto ao basquete que pode chegar até 30 mil reais por jogo, desde que troquem o ingresso. Não temos um valor certo, esse é o apoio que a prefeitura nos deu, e que será de grande valia no campeonato. Contamos também com o apoio do Sesi e o Anatex Esporte Clube, que nos ofereceu a estrutura.

Qual critério foi usado para a montagem do elenco?
A base da equipe foi montada através de duas seletivas realizadas, e vamos trazer mais quatro a cinco jogadoras para completar o elenco, para que possamos fazer uma boa competição.

Ainda segundo Warditon Dutra, o calendário da equipe, que é definido pela FGF , conta com o Campeonato Goiano, que se iniciará em 22 de setembro e se estende até o dia 14 de novembro, e no próximo ano, tem previsão do Campeonato Goiano Feminino no primeiro semestre e o Goianão no segundo.

A equipe que for campeã do Campeonato Goiano ganha a vaga para o Brasileirão da Série A2.

Foto: Instagram/Anhaguera FC

Um comentário sobre “A evolução do futebol feminino no interior de Goiás

Deixe uma resposta para Mauricio Lourenço Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s