O maior triunfo de um time é a sua torcida apaixonada

Eu poderia começar o texto citando várias coisas que são altamente necessárias para “se fazer futebol”. Jogadores, arbitragem, técnicos… Ok, respostas certas e óbvias. Mas qual é a maior alegria de um time se não ser ovacionado por milhares de pessoas? Gritando, cantando e afirmando o seu amor diante de uma partida que pode ou não ser favorável? Quem são os “loucos” que lotam as arquibancadas, compram todos os produtos do time e vestem a camisa, no sentido mais literal e completo?

Pois bem, a palavra “torcida” tem um significado no dicionário que pode não ser o que realmente a descreve no futebol. Torcida é família, ainda que não se escreva “ohana”. Torcida é amor, ainda que não tenha só quatro letras. Torcida é união, é emoção, fidelidade e compaixão. É um ato sagrado que milhares de pessoas fazem com um time, ainda que não se chame casamento.

Foto: Felipe Oliveira/Bahia

Existem os torcedores mais contidos, os mais nervosos, os mais chorões, os que marcam presença em todos os jogos e os que preferem ver de casa mesmo.

Diferentes formas de demonstrar e viver o ato de torcer, a única coisa em comum entre todos eles é o inefável sentimento com o clube do coração. Isso ninguém paga, ninguém substitui, e mesmo que eu tente muito aqui, não saberei discorrer ao pé da letra o que de verdade é sentir tudo isso.

Mas eu sou torcedora também, fiel e apaixonada. E é por isso que estou aqui agora usando meu espaço e local de fala.

Quarta-feira, dia 17 de julho, o Esporte Clube Bahia bateu o recorde de público entre os clubes na Arena Fonte Nova. Um time que já é conhecido por sua torcida fervorosa, provou novamente que faz jus ao slogan de time do povo.

O tricolor baiano lotou a Fonte com mais de 46 mil pessoas, em um jogo de dia de semana às 19h15. O triunfo não veio, não foi a melhor partida do time, mas ainda assim a torcida vibrou, cantou e aplaudiu a todo momento. Fazendo o seu papel da melhor forma possível, apoiar!

Meu coração de torcedora ficou triste sim, mas é só respirar um pouco e entender que erros acontecem e o amor, por sua vez, só aumenta. Que venham os 50 mil! Porque como diz o nosso hino: “Ninguém nos vence em vibração”.