Premier League de olho no VAR

Estádios lotados, torcidas cantando, o clima de Copa se instala entre Brasil e França. Receber uma Copa do Mundo ou uma Copa América não é fácil, assim como já foi relatado sobre os altos preços dos ingressos estipulados pela Conmebol, também chama atenção a utilização do árbitro de vídeo.

Reprodução: Reuters

Utilizado, muitas vezes, com demora para sinalizar algo, o VAR virou protagonista na Copa do Mundo de Futebol Feminino e abriu os olhos para dirigentes e emissoras de TV que transmitem uma das ligas europeias de maior intensidade: a Premier League.

É certo que a primeira divisão inglesa não para. E, bom… inglês tem um pouco de sina com tempo, não é? Não é à toa que no intervalo entre Natal e ano novo, ainda acontecem jogos pelas cidades inglesas.

E o tempo preocupa, porque com a demora na decisão entre os árbitros, liga o alerta para a demora de uma partida. Os jogos com o VAR nessa Copa do Mundo não têm terminado com acréscimos pequenos, ou os famosos “até os 48”.

O maior exemplo disso foi o jogo entre Inglaterra e Camarões que, com todas as intervenções do VAR, acabou após 18 minutos de acréscimos. A Liga cita uma perda de 7 minutos e 27 segundos por partida, o que, se acontecesse na Premier League, atrapalharia a programação dos canais que têm os direitos de transmissão.

Como a partir desta temporada 2019/20 o VAR vai ser novidade na Liga, os ingleses ligaram o alerta.

De acordo com o jornal britânico The Telegraph, a utilização deverá ser feita com moderação e em casos de extrema importância. Para o PGMOL, órgão responsável pela arbitragem profissional no país, uma das medidas adotadas é a de não revisão a faltas mais duras, e caso tenha erro, a cabine do VAR informa imediatamente ao árbitro de campo para uma possível punição com cartão vermelho.

Além disso, em caso de pênalti, o próprio árbitro de campo pode ajustar a posição do goleiro.

Foto: Reprodução/Reuters

Inglaterra x Camarões: um exemplo

Se o coração do torcedor é forte o suficiente para aguentar 90 minutos e os acréscimos, imagina uma partida com 18 minutos a mais no tempo normal? Aconteceu entre Inglaterra e Camarões pela Copa do Mundo de Futebol Feminino.

O que chamou atenção, além disso, foram as reclamações e o possível abandono das camaronesas por conta das decisões impostas pela árbitra de campo e o VAR.

O técnico Phil Neville, que comanda a seleção feminina, disse que a partida não parecia futebol. Alain Djeumfa, técnico das camaronesas, afirmou os erros da árbitra e elogiou sua equipe.