Em clima de Copa do Mundo, marca Yellow faz campanha sem autorização e causa descontentamento de jogadoras

Por: Akemy Morimoto

A Seleção Feminina de Futebol vem aos poucos ganhando espaço e visibilidade na publicidade brasileira. As meninas protagonizam comerciais que envolvem futebol, como o do Itaú e do Guaraná Antarctica. Este tipo de ação, além de valorizar e reconhecer a importância das jogadoras, ajuda nas bonificações e patrocínios. Mas, vindo na contramão das ações que têm acontecido, a marca Grow, detentora das bicicletas e patinetes Yellow e Grin, tem usado durante a Copa do Mundo Feminina 2019, o nome de algumas jogadoras da seleção sem autorização e causou descontentamento com elas.

Reprodução: Instagram/@yellow.us

A empresa postou, no último dia 7, início da Copa, imagens nas redes sociais de bicicletas da marca estampando o nome de jogadoras brasileiras, como Cristiane, Marta, Formiga, Andressa Alves e Bia. O post dizia: “Vamos todos apoiar nossas craques de bola. Poste uma foto com a #PedalaGarota, enquanto passeia de bike pela cidade. Você apoia nossas jogadoras e faz parte da torcida das amarelinhas. E com tanto apoio, quem sabe não temos a sorte de ver um golzinho de bicicleta.”

A postagem não foi vista com bons olhos pela atacante da seleção, Cristiane. No dia 11, a jogadora comentou a publicação da Grow afirmando que não havia autorizado o uso do seu nome na campanha: “Fico triste que usem minha identidade sem sequer entrar em contato antes, isso é extremamente errado. Usar a imagem das jogadoras da seleção sem autorização para se promover é ilegal e desrespeitoso. A modalidade merece respeito”, escreveu a camisa 11 do Brasil.

A ação gerou um posicionamento da Sow Sports, que trata da carreira da Cristiane e Andressa Alves. A empresa confimou que as atletas não foram procuradas pela marca e muito menos autorizaram a campanha. “A Sow Sports, responsável pela gestão e assessoria da carreira de Cristiane Rozeira e Andressa Alves, confirma que nenhuma das atletas autorizou o uso de nome e imagem em campanha da Yellow. Qualquer participação em comerciais e publicidade, como as realizadas com empresas como Uber, Itaú e Guaraná conta sempre com consentimento expresso das jogadoras. Esclarecemos também que as devidas medidas jurídicas para que cesse o uso indevido do nome das atletas já foram adotadas.”.

A marca Grow também se manifestou e afirmou que colocou placas nas cestas das bicicletas da empresa como forma de homenagear as jogadoras da Seleção Feminina de Futebol: A ação visou apoiar e divulgar o futebol feminino no país e engajar a torcida. Não fizemos qualquer tipo de promoção com esta ação que, em sentido contrário, demandou investimento de nossa parte. Esta é uma entre diversas ações ligadas a pautas sociais que estamos abraçando, entre elas as que estamos fazendo referentes ao mês do orgulho LGBT. A Grow esclarece ainda que tão logo recebeu questionamentos desativou esta ação.”.

Foto: Reprodução / Instagram @yellow.us

Após o comentário de insatisfação da jogadora Cristiane , o perfil @yellow.us excluiu a publicação. Mas, mesmo depois do uso de notificação jurídica à empresa, as bicicletas continuaram circulando com as placas na cidade de São Paulo.

O reconhecimento das jogadoras e do futebol feminino não pode ser feito somente por meio de homenagens. É necessário valorizar com patrocínios e pagamentos. O respeito deve estar acima de tudo.