Copa do Mundo Feminina: Novidades, seleções participantes e favoritas ao título, artilharia e goleada

A Copa do Mundo Feminina está chegando, e com ela a ansiedade e as expectativas a mil. E nós, aqui do Rainhas do Drible, preparamos esse especial para que você leitor fique por dentro de tudo e apoie nossa Seleção Brasileira.

Você sabe quais são as seleções que participarão da competição? E as candidatas mais fortes ao título? E a maior artilheira? Confira!

Seleções participantes

Serão 24 seleções (divididas em seis grupos de quatro equipes) em busca do título mundial.

As competições que qualificaram as equipes para a Copa do Mundo foram disputadas entre abril de 2017 e novembro de 2018, onde foram apuradas 23 seleções para o torneio, além da anfitriã França, que já estava previamente classificada por ser o país sede.

As seguintes seleções estão classificadas para a disputa do Mundial.

Grupo A:

Coreia do Sul, França, Nigéria e Noruega.

Grupo B:

África do Sul, Alemanha, China e Espanha.

Grupo C:

Austrália, Brasil, Itália e Jamaica.

Grupo D:

Argentina, Escócia, Inglaterra e Japão.

Grupo E:

Camarões, Canadá, Holanda e Nova Zelândia.

Grupo F:

Chile, Estados Unidos, Suécia e Tailândia.

Seleções favoritas

A Copa do Mundo Feminina de futebol colocará as melhores seleções do mundo frente à frente, na França, entre os dias 7 de junho e 7 de julho. O torneio da Fifa teve início em 1991 e será realizado pela oitava vez. A história mostra uma lógica diferente do futebol masculino, com seleções como Estados Unidos, Noruega e Japão como potências, tanto em estrutura como em resultados. O favoritismo, no entanto, não é todo destas seleções, pois algumas postulantes ainda não levantaram o troféu do Mundial.

A seleção americana, atual campeã, é uma das mais temidas em todas as edições do Mundial. Com três taças, o time das atacantes Alex Morgan e Megan Rapinoe é novamente uma das candidatas ao título.

O Brasil de Marta chega pela primeira vez como azarão no torneio, depois de bater na trave em algumas edições recentes, como em 2007, quando perdeu para a Alemanha na final, por 2 a 0, e em 2011, quando caiu para os Estados Unidos, nos pênaltis, pelas quartas de final. As brasileiras não vencem há nove jogos e a pressão sobre o técnico Vadão aumenta às vésperas do início da competição.

Apesar do peso e tradição das seleções campeãs, a Copa do Mundo também trará ameaças de ótimos times que ainda não levantaram a taça, como Holanda e França. As anfitriãs, além do apoio da torcida, também contam com uma base forte, vinda do maior clube do mundo atualmente: o Lyon. A França tem como melhor resultado um terceiro lugar, em 2011, e fará de tudo para não decepcionar seu público.

A Holanda é uma das seleções com menos tradição no futebol feminino e estreou apenas na última edição do Mundial, em 2015, mas surpreendeu ao chegar nas oitavas de final. Guiadas pela atacante Lieke Martens, as holandesas conseguiram grandes resultados em pouco tempo, como o título da Eurocopa de 2017, ano em que Martens foi eleita a melhor jogadora do mundo.

Maior artilheira

A Seleção Brasileira feminina não tem nenhum título do Mundial feminino, mas tem a maior artilheira da competição. A atacante Marta marcou 15 gols em quatro edições das quais participou (2003, 2007, 2011 e 2015). Atrás dela estão Birgit Prinz, alemã que participou de cinco edições e se aposentou em 2011, e Abby Wambach, americana aposentada desde 2015, ambas com 14 gols.

Na última sexta-feira (24), durante o treino da seleção feminina em Portugal, Marta sentiu dor na região posterior da coxa esquerda. Após passar por exame na manhã do sábado, foi constada uma lesão entre grau 1 e grau 2 do músculo bíceps femoral.

Segundo o site oficial da CBF, a craque permanecerá em tratamento fisioterápico com avaliações periódicas e, em uma semana, fará um novo exame de imagem para analisar a evolução do tratamento. Torcemos para que a nossa rainha se recupere a tempo de participar da Copa do Mundo e aumentar seus números de gols, garantindo a artilharia.

Maior goleada

A Seleção Alemã de 2007 foi campeã mundial e aplicou a maior goleada do torneio. A equipe da Alemanha venceu a Seleção Argentina por 11 a 0. Na edição de 2015, que aconteceu no Canadá, elas voltaram a marcar dois dígitos no placar: 10 a 0 contra a Costa do Marfim.

Novidades

A Copa do Mundo de Futebol Feminino terá algumas novidades nesta oitava edição, como a introdução do árbitro de vídeo (VAR), o aumento da premiação financeira e a TV Globo transmitindo pela primeira vez os jogos ao vivo da Seleção Brasileira.

Expectativa

Acredito que a Copa do Mundo Feminina de 2019 terá muitas surpresas e que será tão grande quanto a Copa do Mundo Masculina. Torceremos, esperaremos, apoiaremos e curtiremos cada momento das nossas meninas. Lembrando sempre que, cada dia mais, nós mulheres estamos alcançando nossos objetivos, seja dentro ou fora de campo.

Foto: Reprodução/Rainhas do Drible