“It's coming home”: o domínio é inglês nesta temporada

Nem mesmo o nascimento de Archie Harrison ou as discussões sobre o Brexit chamaram tanta atenção quanto as finais das duas maiores competições europeias. Uma coisa é certa: a Inglaterra terá a taça da Liga Europa e da Liga dos Campeões em sua casa.

Nunca antes os finalistas das duas competições foram de um mesmo país. Desde que criada, em 1955, a Liga Europa já passou por diversas reformulações – incluindo a mudança de nome, regras e até mesmo de sistema.

Até 1999, a Liga baseava-se na disputa entre os não campeões e mais bem colocados nas competições nacionais. Com a extinção da Taça das Taças, mudou-se a regra de dois jogos na final para um só e o nome que passou a ser Taça UEFA.

Com 46 edições, essa é a segunda vez em que os dois times são da Inglaterra. A primeiríssima oportunidade surgiu logo na sua primeira final onde o Tottenham derrotou o Wolverhampton por um placar de 3-2 no agregado.

Já a taça da Liga dos Campeões irá deixar a Espanha (depois de algumas temporadas) para sobrevoar ou capital britânica ou a cidade dos Beatles. A última vez que um time inglês ganhou a competição foi na temporada 2011/12 com Chelsea vencendo o Bayern de Munique nas penalidades.

O Rainhas preparou esse texto para relembrar a passagem, nessa temporada, dos quatro times nas duas competições.

Tottenham em sua primeira final de Liga dos Campeões

A virada do time, sobre o comando do argentino Mauricio Pochettino, começou ainda na fase de grupos. Logo no primeiro jogo, encarou a Internazionale de Milão, no San Siro. Placar? 2-1 para os italianos. Os ingleses viram Eriksen abrir, mas Icardi e Vecino aumentarem no fim do jogo. Keep calm! Ainda era o primeiro jogo…

Na rodada seguinte, encaram o Barcelona no Wembley. Logo no início, aos dois minutos, Coutinho abriu o placar e, vinte e seis minutos depois, Rakitic ampliou. Keep calm? Sir Kane diminuiu, Messi marcou logo depois, Lamela tornou a diminuir para os ingleses, mas o argentino marcou mais um para o time da Espanha.

O seu terceiro adversário seria o time holandês, PSV. Faltavam mais três rodadas e o empate com o time holandês, em 2 a 2, ligou o alerta. O time inglês somava duas derrotas e um empate. Na quarta rodada, ganhou do PSV por 2 a 1, na outro jogo ganhou da Inter e na última rodada, empatou com o Barcelona.

Tottenham classificado, em segundo lugar, para as oitavas de final.

No sorteio, definiu-se o adversário: Borussia Dortmund. No primeiro jogo, em casa, 3 a 0. Semanas depois, na casa dos alemães, vitória por 1 a 0. Passagem para as quartas de final compradas porque agora era hora de enfrentar o Manchester City.

O time não quis assustar muito no primeiro jogo. Mas, no segundo, até quem não torcia para um dos times, ficou nervoso. Sete gols, uso do VAR, virada nos acréscimos e classificação sobre o “haja coração” do torcedor.

Na semifinal, parecia que não seria possível depois do jogo de 1 a 0 contra o Ajax em casa. Reverter o placar contra os holandeses, principalmente depois dos dois gols, não ia ser fácil.

Harry Kane não estava jogando. Entrou então alguém que os torcedores são-paulinos já escutaram muito falar: Lucas Moura. O garoto de Cotia marcou os três gols e o Tottenham se classificou para a final.

A sua primeira final de Liga dos Campeões!

Jürgen Klopp em mais uma final

Quem não lembra da final entre Real Madrid x Liverpool ano passado? Logo depois da contratação do goleiro brasileiro Alisson, a imprensa inglesa já especulava que o Liverpool seria, mais uma vez, um dos concorrentes a vaga para a final. E, também, se especulava sobre o título do campeonato inglês.

Participando do grupo C, o Liverpool iniciou a fase de grupos contra o PSG, dentro de casa. A vitória por 3 a 2 deixou o time inglês à frente já que o outro jogo, entre Estrela Vermelha e Napoli, foi empate.

Na segunda rodada, o Liverpool foi até a Itália e perdeu o jogo. O PSG, ganhando do Estrela Vermelha, alcançou os três pontos empatando com o time inglês, e assim, deixando o Napoli à frente com quatro pontos.

A reviravolta desse grupo ocorreu nas rodadas finais. Nos três últimos jogos, o time comandado por Klopp perdeu dois jogos e ganhou o último, somando nove pontos — dois a menos que o time parisiense.

Na fase das oitavas de final, o Liverpool empatou contra o Bayern de Munique em Anfield, contudo, garantiu a vitória na casa dos alemães por 3 a 1.

As quartas de final reservaram aos Reds a ida a Portugal. Enfrentando o Porto, ganharam os dois jogos marcando seis jogos (dois no primeiro e quatro no segundo).

A semifinal chegou contra o time de Ernesto Valverde. Ok, You’ll never walk alone. Se no primeiro jogo o Barcelona venceu por 3 a 0, e para muitos, já havia garantido a ida à final, mais uma vez, o Liverpool mostrou a força do seu time e da sua torcida com uma virada histórica por 4 a 0, garantindo sua vaga a Madri.

Dérbi londrino na Liga Europa

  • “We’re all together and winning is our aim”, diz o hino dos Blues

Participando do grupo L, o Chelsea viajou até a Grécia para enfrentar o PAOK. Com gol de William, garantiu sua primeira vitória na competição.

Assim como a Liga dos Campeões, a primeira fase é composto por seis rodadas. Os Blues se classificaram com 16 pontos vencendo cinco jogos e empatando um jogo, na última rodada.

Em uma segunda fase, antes de garantir a vaga para as fases finais, o Chelsea enfrentou o Malmo perdendo o primeiro jogo e decidindo somente dentro do Stamford Bridge.

Para as oitavas de final, o time de Maurizio Sarri enfrentou o Kiev ganhando os dois jogos. A vaga para a semifinal veio com vitória contra o Slavia Praha.

Na semifinal, enfrentou o Eintracht Frankfurt. No primeiro jogo, um empate em 1 a 1. A volta, em Londres, deixou o torcedor do Chelsea nervoso. Depois de um novo empate em 1 a 1, a decisão foi para a prorrogação, e em seguida, para os pênaltis terminando em 4 a 3.

  • Mais uma para a conta, Emery?

No grupo E da competição, o time do norte de Londres garantiu a vaga para a segunda fase com também 16 pontos e de forma invicta. Na segunda fase, perdeu o primeiro jogo para o BATE e venceu o segundo. Contra o Rennes, venceu os dois jogos e disputou as quartas de final contra o Napoli.

No primeiro jogo da semifinal, o Arsenal venceu o primeiro jogo por 3 a 1 e depois 4 a 2 em jogo que a Valencia começou abrindo o placar.

No próximo dia 29, o Olímpico de Baku, no Afeganistão, será palco da final entre os times de Londres. Dia 1º de junho, em Madri, será a vez de Tottenham e Liverpool decidirem se a Orelhuda ficará na capital britânica ou na cidade de Beatles.

Aguenta o coração, torcedor!