Imperador

Adriano Leite Ribeiro, mais conhecido como Imperador, foi descoberto nas categorias de base do Flamengo e criado na Vila Cruzeiro, onde sempre foi conhecido como Didico. Quem o viu jogar, sabe que não tem como não admirar. Ídolo de muitas torcidas, mas ídolo do Flamengo.

Para a família, Adriano era Didico, apelido que ilustra todo o amor e carinho que sempre recebeu. Ele foi reconhecido por conta do seu talento: chute forte com a perna esquerda e sua forte presença na área. Aos 19 anos, o atacante foi para a Itália, carreira que o levou ao sucesso e à riqueza, e lhe concedeu o título de Imperador, em homenagem ao imperador romano Adriano.

A partir de 2004, Adriano sofreu um golpe dos mais duros de sua vida, a morte de seu pai, Almir. Após a o acontecido, Didico começou a entrar em declínio. A perda de seu pai levou Adriano a recorrer ao álcool. Com isso, o jogador voltou ao Brasil e retornou para o clube que o lançou, o Flamengo. Foi super decisivo para o título conquistado em 2009 e terminou a competição como artilheiro, com 19 gols e um dos principais destaques ao lado de Petkovic. Porém, isso não serviu muito para levantar a carreira do atleta. Foi quando o atacante tomou a cena a fim de continuar seu caminho de retorno às origens e largou o futebol.

A nós, cabe admirar a carreira de um cara que redefiniu o carisma, sendo adorado por diversas torcidas no Brasil e até fora do país. Que a vida de Adriano seja longa e plena. Que os títulos da Itália, os pela Inter, o gol antológico na Copa América e o título brasileiro conquistado no Flamengo sejam eternos, e serão!

Finalizo com as palavras de nosso Didico: “Que Deus perdoe essas pessoas ruins”.

Foto: Reprodução