Especial mascotes do Brasileirão: a história do mascote do Flamengo, o Urubu

Provavelmente várias pessoas já se perguntaram o por que tal figura é mascote de tal time. Os mascotes são figuras sempre presentes nos jogos e sempre estão muito animados e fazendo a alegria da torcida. Por esse motivo, vamos explicar um pouco da origem dos mascotes de alguns times do Campeonato Brasileiro de 2019.

Hoje vamos falar do símbolo de um dos times mais amados do país: o Urubu do Flamengo. Por que o rubro-negro carioca possui essa ave como mascote?

Para poder entender o porquê precisamos voltar para década de 60, quando as torcidas rivais, de forma racista, começaram a chamar os torcedores do Flamengo de “urubu” em alusão a grande massa de torcedores rubro-negros afro-descendentes e pobres. O apelido racista nunca foi bem aceito pela torcida, até um fato inusitado acontecer no Maracanã.

Domingo, 31 de maio de 1969. Um torcedor rubro-negro levou um urubu para o jogo entre Flamengo e Botafogo no Maracanã. Nessa época, os dois faziam o clássico de maior rivalidade. O Flamengo já não vencia há quatro anos. E como sempre, os gritos de “urubu” ecoavam das arquibancadas da torcida botafoguense. O, agora mascote, foi solto da arquibancada com uma bandeira do Flamengo presa nos pés e ao cair no gramado, minutos antes da partida começar, a torcida fez festa e aos gritos de “é urubu, é urubu”.

Com o placar de 2 a 1 o Flamengo venceu o clássico e, desde então, o urubu consagrou-se o mais novo mascote do rubro-negro carioca, tomando lugar do Popeye. O colunista rubro-negro Henfil, tratou de consagra-lo em suas charges esportivas em jornais e revistas, com isso o Urubu foi se popularizando.

Em 2000, ele ganhou o nome de Samuca mas não chegou a se popularizar com a torcida que continua chamado-o, carinhosamente, de Urubu.