RB Bragantino é anunciado

O Bragantino e o RedBull Brasil, clubes do interior de São Paulo, fecharam uma parceria que estabelece o RB no comando do futebol da equipe de Bragança a partir do Campeonato Brasileiro da Série B, que inciará em abril. O acordo foi oficializado na tarde de ontem (26) e o valor do investimento ficou em R$ 45 milhões.

Por enquanto, apenas a parte administrativa e de futebol caberá ao RedBull, mas aos poucos assumirá o comando geral do Bragantino. O presidente Marco Chedid permanecerá, dentro do prazo de “ajustamento e transição”, que foi definido um período de três a cinco anos para que o controle do RB seja geral.

Esta foi a forma mais rápida que a empresa austríaca encontrou para chegar à elite do futebol brasileiro. Seria um pouco mais demorado e mais caro se buscassem entrar na Série D do Campeonato Brasileiro até chegar à Série A.

Objetivo

O Red Bull Brasil aproveitará seus jogadores que disputaram o Campeonato Paulista e mais alguns do atual elenco do Bragantino. Além da promessa de reforçar o time com o objetivo de brigar pelo acesso ao Brasileirão de 2020.

Este acordo é o ponto inicial para a saída definitiva da família Chedid, que comanda o clube de Bragança desde a década de 60, tendo à frente Nabi Abi Chedid, que depois foi presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF) e vice da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), mas nunca foi presidente do clube.

Marco Chedid, seu filho, assumiu a presidência em 1998, com muitas dívidas. Só em 2007 um processo saneamento de todas elas teve início. Desta forma, o RB assume um clube com bom setor financeiro, com apenas duas ações trabalhistas.

Transação

O negócio teve seu ponta pé após a negociação frustrada por com o Oeste, de Barueri, que rejeitou uma proposta de R$ 35 milhões para ser do RedBull. A partir daí, autorizado por Marco Chedid, um intermediário conversou com o presidente do RB, Thiago Scuro, em dezembro. Scuro apresentou a opção de acordo com o Bragantino, e em janeiro se encontrou com Marco Chedid na sede de sua empresa, em Campinas, para começar a negociação de fato.

O acordo teria sido fechado em fevereiro, quando Luiz Arthur Chedid, vice-presidente do Bragantino, teria se reunido com dirigentes da empresa de energéticos na Alemanha. Nesta reunião, teria sido definido o valor, forma de pagamento e de investimento, além da maneira legal para fechar o acordo.

Sigilo

Todas essas informações de lugares ou datas de fechamento não foram confirmadas por nenhuma das partes envolvidas, pois estes negócios exigem uma cláusula de confidencialidade. A negociação é complexa tanto com pontos administrativos como em termos desportivos, porque agora o acordo precisa ser chancelado pela FPF e pela CBF.

Curiosidade

As cores do uniforme estão sendo definidas pelo Marketing da empresa.

Foto: Rafael Moreira/CA Bragantino