Carnaval e futebol pode sim!

Semana de carnaval, bloquinhos e escolas de samba aquecendo a bateira para mais um desfile nas ruas das grandes cidades. Infelizmente, os campeonatos estaduais vão fazer uma pausa durante os dias de folias. Mas quem foi que disse que futebol, amor ao clube e carnaval não combinam?

Foto: Divulgação

A torcida Banda Alma Celeste realiza o bloco do Chaco que teve sua primeira edição em 2014 fazendo parte das comemorações do centenário do Paysandu. A cada ano, o número de participantes só faz aumentar e para pular no bloco de carnaval mais bicolor da cidade de Belém basta usar qualquer manto do Papão.

Foto: Divulgação

Um dos organizadores, Lucival Ferreira falou sobre como surgiu o evento. “Surgiu no início de 2014, ano do centenário do Paysandu. Vimos que ia ser um ano bem festivo e decidimos fazer o bloco pra celebrar a alegria de torcer para o clube e pra ser uma opção de carnaval pra quem não fosse viajar naquele ano. O intuito era agregar e isso foi aceito por quem participa”.

Sua sexta edição aconteceu no último dia 02 como umas das atrações pelas comemorações de 105 anos do clube. O bloco começou dentro do estadio da Curuzu, ao contrário dos outros anos, que iniciava no bar da Lurdina ou bar da Fiel, como também é conhecido, e percorria as ruas do entorno do estádio.

Foto: Divulgação

Para Bruna Senna, integrante da Alma Celeste e brincante do bloco do Chaco: “o bloco é muito bom, participo desde 2015 e sempre tem a mesma pegada, as pessoas brincam, bebem e se divertem sem confusão. Não tem abadá, o abadá é a camisa do Paysandu para ninguém se sentir inferior e sim acoplar todos o que é muito melhor. Fazemos amizades, ajudamos uns ao outros e se for pra proteger também fazemos isso.”.

Foto: Acervo Pessoal/Bruna Senna