Driblando o preconceito

Em tempos de declarações homofóbicas, assédios e coisas do tipo “futebol é para ricos”, precisamos falar sobre a diversidade. Nós, colunistas de um blog na sua totalidade feminino, ressaltamos dia após dia a importância de respeitar o espaço do outro no esporte e na vida.
A regra é clara: futebol é para todos e ponto final. Nada de exceções por cor, gênero ou quaisquer outras diferenças. O maior golaço que precisamos marcar diariamente é o do time do respeito.

Visando isso, hoje eu vim apresentar a vocês o primeiro time transgênero do Brasil, o MBB, sigla para Meninos Bons de Bola. Trata-se de um time de futebol cuja modalidade é o futebol de salão. Original de São Paulo, a equipe possui cerca de 15 jogadores transgêneros.

Eles se mantém a partir de doações e arrecadam fundos promovendo ações sociais com temas das suas realidades. O clube foi fundado por Raphael, que já contou em entrevistas os desafios que enfrentou ao longo da sua aceitação. Ele que já foi violentado sexualmente por um taxista, viu uma nova oportunidade de vida na sua paixão pelo futebol. Hoje, o MBB ajuda outras pessoas que já passaram ou estão passando por situações como essa.

Temos aqui um exemplo claro de que o futebol salva, e mais um motivo para afirmarmos que não há espaço para nenhum tipo de intolerância. Precisamos aprender a jogar mais no time da vida, a torcer mais pelas pessoas, praticar a empatia, o respeito. Futebol envolve amor, vamos colocar isso em prática.

Deixo aqui todo o meu repúdio a qualquer tipo de preconceito no meio desse esporte que tanto sou apaixonada.