#ForçaFlamengo

Hoje o Sol não brilhou, os pássaros não cantaram, o futebol chorou, as lágrimas rolaram no rosto de tantas pessoas, o coração de tantas famílias dilacerou-se. Quem dera que essa verdade fosse mentira e que fosse um pesadelo. Eram apenas meninos que brincavam de jogar bola.

Na madrugada desta sexta-feira (08), por volta das 5h20 houve um incêndio no Ninho do Urubu, Centro de Treinamento do Flamengo. O acidente causou a morte de dez pessoas, dentre elas seis jogadores da base e quatro funcionários. Os atletas tem idades entre 14 e 17 anos.

As vítimas identificadas da tragédia foram o goleiro Christian Candido, o jovem atleta já havia sido convocado para a Seleção Brasileiras algumas vezes, Pablo Silva, Arthur Vinicius que faria 15 anos amanhã, Victor Isaías 14 anos, Bernado Pisetta 15 anos.

A princípio a causa da tragédia foi problemas no ar-condicionado, mas somente perícia pode afirmar com precisão o que aconteceu, segundo o vice governado do Rio de Janeiro.

“Nem o mais criativo e hábil conhecedor da linguagem seria capaz de traduzir em palavras a dor de uma perda, ainda mais quando se tratam de crianças que alimentavam sonhos, driblando dificuldades em lances espetaculares de jogadas inesquecíveis, para conquistar a glória. Os estádios silenciam ante a calada torcida. Bandeiras não tremulam nem ouve-se o trilar dos apitos. O sentimento é um só: dor e tristeza. Hoje somos todos ‘Garotos do Flamengo’. Que Deus os acolha em seu Reino, para que continuem, pelos campos do céu, lutando pela vitória eterna!!!”, Maurilio de Paula Junior, torcedor.