Ser mulher e gostar de futebol não é fácil

Sim, eu passo batom, uso salto, cuido do meu cabelo, faço unha e também gosto de futebol. Aliás, amo futebol! E mesmo que eu não usasse batom ou todas as outras coisas, eu não seria nem um pouco menos feminina por gostar de futebol, cada um gosta do que quiser, seja homem ou seja mulher. Não existe padrões para o esporte!

Mulheres entendem de futebol? Olha, não só entendem como conheço muitas mulheres que entendem muito mais de futebol que muitos homens que se acham juízes ou técnicos por aí…

Muitas pessoas nesse mundo tem uma grande dificuldade de aceitar que,sim: “futebol também é coisa de menina”. No país do futebol existe tantos preconceitos que eu não sei se realmente seria o “país do futebol” ou o “país do preconceito”. São tantas as perguntas machistas que as apaixonadas por futebol aturam, como “fala cinco nome de jogadores que atuam no seu time” ou “a escalação completa do time de 1900 e não sei quantos…”. O pior é a audácia quando falam:

1. “Mas você já foi ao estádio pelo menos uma vez na vida?”.

2. “Você pode me dizer qual é a regra do impedimento?”, a pior pergunta para as fãs do esporte.

3. “É, realmente… você entende até mais que muitos homens por aí…”.

Ou seja, a mulher que gosta e entende de futebol sofre. Experimenta dizer que não quer sair às 17h de um domingo porque tem jogo. Experimente deixar a TV no VT de Flamengo x Vasco enquanto pinta a unha da mão e alguém entrar no seu quarto. Experimente comentar um jogo em uma conversa de amigos. Experimente não querer sair de casa para assistir uma partida do seu time. Enfim… experimente dizer o que qualquer um pode dizer em uma mesa de um bar, mas, se for você, moça, só pode ser armação ou decoreba.

Ninguém vai se conformar se você sabe quem está na final da Copa do Brasil, nas semifinais da Sul-Americana e nas pontas da tabela do Brasileirão. E outra, para o senso comum, você tem direito a saber um, somente um, time por país estrangeiro.

Basicamente: Barcelona, PSG, Benfica, Milan, Manchester, Bayern…

Getafe? Mônaco? Rio Ave? Schalke 04? Newcastle? Nem pensar! Além disso tudo, sofremos também com assédio no estádio e fora dele.

Reflita! Já pararam para pensar em todas as coisas que uma mulher precisa enfrentar pelo simples fato de gostar de futebol? Resumindo, o fato de ser mulher e gostar de futebol é normal. É apoiar seu time em cada jogo, comemorar cada gol, chorar de emoção, xingar, é sofrer a cada derrota. São mil e umas emoções de uma vez só. É comemorar aquele gol aos 47’ do 2° tempo, é comemorar o gol contra o rival, é construir amizades com outros torcedores, é sentir orgulho de vestir a camisa do seu time, sobretudo, amamos futebol!

Nós continuaremos torcendo, vibrando, comemorando e vivendo cada jogo, cada lance, cada conquista do nosso time do coração. Vamos continuar firme e forte, torcendo para que o esporte evolua, e para, quem sabe um dia, conseguimos vivenciar o futebol com a mesma liberdade que os homens. Afinal, nós merecemos!