Paysandu, o time do povo

Não posso começar esse texto falando o quão difícil o ano de 2018 foi para a torcida bicolor. Para começar, nunca é fácil perder quatro vezes ao maior rival, em um campeonato que o Paysandu passa a liderar o número de vezes que foi campeão, e muito menos, chegar ao fim do ano e ver o time ser rebaixado a mesma série que o rival joga.

Não foram somente de tropeços em campo que o time viveu este ano. Reclamações à diretoria, aos jogadores, e sem falar das brincadeiras vindas pelo lado azulino. Como esquecer da festa feita por eles depois que o Paysandu perdeu o jogo e a chance de permanência na Série B, diante da sua torcida, contra o Atlético Goianiense?

Dias após o rebaixamento à série C, a torcida pôde escolher um novo presidente. Ricardo Gluck Paul foi eleito, em chapa única, e ao conceder entrevista para a torcida e jornalistas, disse que o Paysandu distanciou-se da torcida, tornando-se um clube de elite, e que é, na realidade, “o time do povo”.

Com isso, a nova diretoria tomou a decisão de levar este lema adiante e colocá-lo em prática. Neste sábado (08), torcedores com renda abaixo de um salário mínimo puderam fazer o cadastro em um novo programa do clube que oferece 500 ingressos gratuitos aos jogos de mando do Paysandu aos torcedores inscritos. E, nesta segunda (10), o Mercado do Ver-o-Peso recebeu a visita da diretoria de marketing, de comunicação e do grupo Lobo para apresentação dos seus novos uniformes.

Alguns anos atrás, as apresentações eram feitas em um lugar fechado, com show de bandas nacionais, modelos e celebridades que apresentariam o novo manto. Dessa vez, sendo bastante regional, o Papão da Curuzu lançou os novos uniformes com os melhores modelos que poderiam existir: a própria torcida.

Como o paraense costuma saber, o Mercado do Ver-o-Peso acorda cedo. Até antes mesmo do sol nascer, já existem os trabalhadores carregando e descarregando mercadorias para a venda. Os torcedores do bicolor e trabalhadores do local obtiveram em primeira mão o uniforme, vestindo, tirando foto e mostrando o seu novo manto à torcida.

Reprodução: Jorge Luiz/Paysandu.com.br

Alcateia, de acordo com o dicionário, significa conjunto de lobos, e foi através dessa alusão ao símbolo do clube e em homenagem à torcida, que o Paysandu lançou a nova linha. As tradicionais cores do clube, o azul royal e branco, estão na camisa denominada Fiel, e a branca foi batizada de Gigante.

O ex-jogador e ex-técnico bicolor, Lecheva, lembrou a importância do manto para o clube ressaltando que vestir a camisa do Paysandu é para poucos e que torce para que o clube possa estar novamente entre os times de elite.

Reprodução: Paysandu.com.br