Mudança no Flamengo: CT George Helal ganha cara nova

O último legado de Eduardo Bandeira, como presidente do clube, é a inauguração do espaço que irá servir à comissão técnica e aos jogadores profissionais, assim, o atual espaço usado pela equipe – inaugurado em 2016 –ficará para a categoria de base.

Bandeira enalteceu o empenho para a construção do novo módulo, afirmando não somente ser um sonho dele, mas de uma equipe, e principalmente, um sonho para aqueles que sonham na carreira do futebol e em começar jogando no Flamengo: a base. O presidente rubro-negro afirmou nesta sexta que quando compraram o terreno, o ex-presidente e homenageado com o nome da casa, George Helal pensou inicialmente na base. “Vamos deixar isso para os nossos garotos, para resgatar o que o Flamengo sempre teve no passado”, disse no discurso.

Cada vez mais estamos nos inspirando em modo europeu de futebolizar. Técnicos brasileiros estudam os esquemas de times da séries de elite dos principais campeonatos do continente e a estrutura da casa dos clubes. Para concretizar o projeto do Centro de Treinamento dos sonhos aos flamenguista, eles tiveram uma inspiração importante: a casa que recebe os jogadores da seleção inglesa, o Centro de Treinamento Saint George’s Park. Inaugurado em 2012, porém, em construção desde 2001, o espaço tem 1.300.000 m² e conta com uma infraestrutura de primeiro mundo.

O novo espaço no Ninho do Urubu, apresentado por Alexandre Wrobel, vice-presidente de Patrimônio, contém 5.500 m² e mais de 20 novas instalações que poderão ser usadas a partir do fim de janeiro do ano que vem, quando o Flamengo volta da pré-temporada, nos Estados Unidos.

Na entrada há uma estátua de Zico e dentro do prédio há uma homenagem ao ex lateral esquerdo Junior. Também há homenagem a São Judas Tadeu, com imagem no vestiário.

“Tenho muito orgulho de estar aqui. Tenho certeza que os torcedores espalhados pelo mundo têm muitos motivos para comemorar”, finalizou Bandeira na festa de inauguração.

Foto: André Durão/Globoesporte.com