e-Sports vem ganhando investimento entre equipes de futebol de campo

Assim como acontece em outros esportes, o e-Sports – uma competição de jogos eletrônicos com jogadores profissionais –vem ganhando cada vez mais público. É como jogar FIFA ou PES com os amigos, mas ser profissional, competir e ganhar títulos.

Por mais que as redes sociais não faziam parte do nosso cotidiano na década que eu nasci, o videogame já era uma paixão para muitas pessoas. Que tal chamar um amigo para jogar com você nas férias? Com o mundo cada vez mais conectado, não precisa estar ao lado para jogar.

É claro que o futebol continua sendo uma paixão nacional, a Fórmula 1 continua passando aos domingos e às terças e quartas à tarde assistimos aos jogos da UEFA Champions League, mas então o que mudou? A tecnologia mudou o mundo.

O e-Sports junta um pouco de tudo: internet, computador, pessoas. À longa distância, você joga e se comunica com uma pessoa que está do outro lado da tela. Essa visibilidade ganhou investimento de alguns clubes de futebol brasileiro, que vem cada vez mais conquistando espaço nesse novo mundo.

O torcedor pode competir online ou acompanhar as competições em dias que o seu time não joga. Ou até mesmo acompanhar e jogar antes ou depois da partida do futebol de campo. E não necessariamente precisa ser de jogos de futebol.

Clubes como Flamengo, Santos, Corinthians e Clube do Remo já investiram em sua equipe para competição de games como League of Legend e Counter-Strike. Além disso, alguns clubes fazem parcerias com organizações para iniciar a construção da estrutura.

Outro aspecto é a saída ou aposentadoria de atletas do futebol de campo e entrada para essas competições. O ex-jogador de futebol Jean Chera e o ganhador do prêmio Puskas da FIFA, do ano de 2015, Wendell Lira, são exemplos de atletas que deixaram o campo para competir nos games.

Chera, em entrevista ao e-Sportv, disse que dedica cinco horas do dia para treinos e competições. Ele joga na Liga Argentina, mas pretende ser contratado por algum clube brasileiro e depois montar seu próprio clube.

Além dos homens, a primeira equipe feminina do Brasil para a League of Legend, Athenas e-Sports, passa uma seletiva com quase 600 candidatas.

É cada vez mais visível que a tecnologia passa a dominar esportes que nem imaginávamos tamanho investimento. O e-Sports é um evento que marca uma transição de gerações e que cresce cada vez mais.

Fonte: Golem.de