A promessa argentina que encontrou seu futebol em terras brasileiras

Todo time possui um jogador estrela, o cara de referência em quem você pode confiar. Um cara que veste a camisa, dá a cara a tapa e muitas vezes carrega o time em situações desastrosas. Atualmente, o futebol tem se destacado mais pelo coletivo do que pelas suas grandes estrelas, mas não podemos negar a importância de tal jogador.

O herói de hoje é Maximiliano Gastón López, mais conhecido como Máxi López, atacante argentino de 32 anos que recebeu a missão de liderar o Clube de Regatas Vasco da Gama esse ano, que corre um grande risco de ir para seu quarto rebaixamento.

O argentino foi dado como grande promessa nas categorias de base do River Plate, chegando a ser o segundo mais novo jogador a marcar gol pelo time profissional do River. Com isso, chamando atenção dos olheiros do Barcelona, foi anunciado, em 2005, no time catalão como um “craque midiático”.

tuttosport.com

Todavia, não mostrou toda a glória que os dirigentes do clube esperavam. Máxi sofreu uma lesão no começo da sua trajetória no Barça, ficando meses sem jogar, entretanto conquistou o Campeonato Espanhol 2004-2005, 2005-2006, a Supercopa da Espanha e chegou à final da Champions League.

Em 2006, o argentino foi emprestado ao Mallorca com um rótulo de craque que, mais uma vez, não foi suprido pela sua média de 3 gols em 23 jogos. Segundo o site do jornal “Marca”, Máxi López foi a decepção da temporada 2006/07:Chegou emprestado pelo Barça e com a etiqueta de ‘craque’ midiático não esteve à altura do que se esperava dele. O Mallorca o apresentou como a principal estrela de seu projeto para esta temporada, no entanto, o argentino não aproveitou a oportunidade para fazer-se um eco no clube. Só fez três gols, uma bagagem muito pobre para um atacante a quem alguns denominam o ‘Drogba branco'”.

Dentre outras passagens na Europa, Máxi não conseguiu tanto destaque quanto foi depositado naquele garoto promissor do River Plate. Porém, no Brasil, o argentino teve alguns momentos felizes. Em fevereiro de 2009, o atacante foi anunciado pelo Grêmio por empréstimo do FC de Moscou com opção de compra. Com uma média de 17 gols em 43 jogos, Máxi foi um dos artilheiros do Grêmio na Libertadores e o responsável pelo belo gol que deu a vitória ao tricolor gaúcho no Grenal Centenário.

Todavia, a saída de Máxi no time gaúcho não foi um mar de rosas. Em dezembro de 2009, o Grêmio compra o atacante argentino, porém o mesmo vai embora sem dar alguma satisfação ao clube. Em janeiro de 2010, Máxi López enviou um telegrama à direção do Grêmio informando que não queria mais jogar pelo clube.

Depois de audiências e brigas na FIFA, o jogador foi anunciado no Catania, da Itália. Com passagens por outros times italianos como Milan, Torino e Udinese, Máxi, em 2018, tem seu retorno para o futebol que mais lhe deu glórias, o brasileiro.

Em 14 de julho de 2018, o Vasco apresentou Máxi López. Em 26 de agosto, Máxi marcou o primeiro gol com a camisa cruz-maltina na vitória por 3 a 1 sobre a Chapecoense ao receber passe de Andrey, além de distribuir duas assistências para os gols de Wagner e Thiago Galhardo.

Desde então, Máxi Lopes, ou La Barbie para os íntimos, tem seguido sua melhor sequência da carreira, com 7 gols em 16 jogos, uma média de 1 gol a cada 2 jogos. O argentino caiu nas graças do torcedor vascaíno e hoje é o principal jogador do clube, sendo fundamental na transferência de um jogador do elenco, o zagueiro Leandro Castán, além de ter sido incumbido de mais duas grandes missões: a primeira, livrar o clube do rebaixamento; a segunda, auxiliar na elaboração do elenco de 2019.

Agora a pergunta que lhes faço, caro leitor, Máxi Lopes é a salvação do Vasco da Gama? Você queria ele no seu time do coração? Esperamos ver muito mais sobre o Trator da Colina em terras brasileiras, fazendo gols e trazendo alegria para os torcedores vascaínos. Boa sorte, Máxi “La Barbie” Lopes!