Mesmo com apoio de 18 clubes, CBF recusa pedido do Inter para uso do VAR no fim do Campeonato Brasileiro

Na última semana, o Internacional teve seu pedido de uso do VAR

negado pela CBF nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro.


O presidente do clube, Marcelo Medeiros, afirmou que a dificuldade técnica de implantação do sistema nesse momento seria inviável, e por isso a CBF não acatou a solicitação do clube gaúcho.

O custo da mudança e questões técnicas pesaram na decisão. Vale lembrar, que cerca de R$ 20 milhões de reais seriam necessários para utilizar o recurso durante toda a competição.

A iniciativa do Colorado foi apoiada por 18 clubes da série A. Exceto o Vasco, com quem havia empatado por 1 a 1 na última partida antes da reunião com a confederação. Foi o pênalti em Kelvin, convertido por Maxi Lopes que motivou ação do Inter, após outros erros de arbitragem cometidos nos últimos jogos.

No início do ano, 12 equipes foram contra a utilização do árbitro de vídeo. Ceará, Sport, Vitória, Cruzeiro, América Mineiro, Atlético Mineiro, Fluminense, Santos, Corinthians, Paraná Clube, Atlético Paranaense e Vasco.

Caso o recurso entrasse em vigor na reta final da competição, isso seria visto como uma quebra de soberania dos clubes em relação à decisão tomada por eles, na reunião em abril deste ano.

Apesar de todo esse embaraço no Campeonato Brasileiro, o VAR já está sendo aplicado na Copa do Brasil, custeado pela própria CBF, e na Libertadores. Outros torneios fora do país também já usam a tecnologia, inclusive, a Copa do Mundo.

Ainda, a Confederação Brasileira de Futebol já está oferecendo o terceiro curso de treinamento desses profissionais. O objetivo é melhorar as decisões dos lances nos jogos e garantir uma arbitragem e pontuações mais justas no esporte.

Foto: Staff Images/CBF