Guerreiro (s)

Por: Andressa Cerqueira

Demorei muito para pensar em uma pauta que envolvesse algo que, infelizmente, é muito comum no futebol: a violência dentro e fora dos estádios. O fato não é recente, mas é algo que muito intimida torcedores que, de fato, amam estar no templo da bola.

Em fevereiro de 2017, um torcedor foi brutalmente agredido. Pedro Scudi. Ele não estava dentro do estádio. Minha memória não ajuda, porém, o clube do coração de Scudi não havia enfrentado o time dos “torcedores” – com muitas aspas para enfatizar que o futebol não é feito de atacadores – naquele dia. Ele estava sozinho, esperando seu ônibus de volta para casa, e foi agredido. Apenas por não compartilhar do amor pelo mesmo time dos agressores.

Domingo, o torcedor completou 25 anos e a torcida do Fluminense o homenageou durante toda a semana para nos lembrar que o futebol é amor, é amizade, união, paixão! Pedro Scudi foi um exemplo, porém, quantos tantos outros torcedores não ficaram gravemente feridos ou, fatalmente, possuíram suas vidas subtraídas por pessoas que não compreendem o verdadeiro valor desse esporte. O valor da vida?

Que esse texto sirva de conscientização para que casos de violência não sejam mais um impeditivo para que tantas famílias deixem de acompanhar seus times de coração no melhor lugar para fazê-lo: dentro do estádio.

Fonte: www.globoesporte.com