House of Vasco: Episódio 4

Ninguém mais aguenta o assunto política, eu sei! Entretanto, sou obrigada a lhes trazer mais um episódio de House of Vasco, e aconselho os vascaínos de plantão, sentem e bebam uma água. Prometemos altos níveis de estresse.

É isso que você perdeu em House of Vasco: Eleições do Vasco declararam chapa de Eurico Miranda vencedor nos votos dos sócios, entretanto urna 7 plausível de fraude é anulada e declara a chapa de Julio Brant como vencedora. Ruptura de Alexandre Campello com a Sempre Vasco e reviravolta nas eleições do conselho deliberativo dando a presidência vascaína para Campello. Instabilidade no time e pedido de demissão de Zé Ricardo, rodízio de técnicos e eliminação em todos os campeonatos disputados além do retorno a zona de rebaixamento.

Fique agora com o episódio de hoje…

Dia 28/09 as eleições para os membros do Conselho Deliberativo e Presidente do clube foram anuladas pela Juíza Glória Heloísa de Lima que estabeleceu a data do dia 08/10 para uma nova votação. Todavia, dia 10/10 foi anulada a nova eleição do Vasco, mas a decisão retornou para análise da juíza com isso gerando mais instabilidade na política do clube.

Os jogadores afirmam que assuntos extracampo não afetam o desempenho dos mesmos nos jogos, mas é visível o abalo emocional do elenco do Vasco. No começo da temporada o time se destacou pela raça, vontade. Com essas trocas de treinadores e a incerteza do futuro no clube, o elenco demonstra um certo abatimento e completa falta de organização.

Além disso, os jogadores do Vasco contam com um treinador que parece não conhecer uma palavra chamada “coerência”. Com o time precisando de vitórias, Alberto Valentim tira da cartola uma escalação diferente a cada partida, colocando jogadores duvidosos quando possui peças com eficácia mais claras.

A justificativa para essas escolhas, pode ter relação com estrelismo ou rachaduras no time. É inegável que aquela sincronia que o elenco possuía no começo do campeonato não existe mais. Será que está na hora de realizar uma peneira no Vasco da Gama? Será que é a hora de trazer para realidade certos jogadores que falam mais do que jogam? Fica o questionamento para você, meu caro leitor.

O Vasco da Gama está numa batalha árdua contra o rebaixamento e hoje vimos a vontade que os jogadores estão de salvar o clube de mais uma mancha na sua história. Este jogo contra o Cruzeiro nos fez relembrar o Vasco do começo do campeonato, com fome de jogo e raça.

Como destaques do time: Yago Pikachu, ganhando brilho pelo gol com uma boa assistência do ponta improvisado Fabrício, entretanto, Pikachu vinha fazendo uma partida ruim até o começo do segundo tempo; Máxi Lopes, um centroavante raiz, que sabe fazer o pivô, além de chamar a responsabilidade do jogo para si, fez um gol cirúrgico e tranquilizou o torcedor vascaíno. Por fim, estreia do menino Bruno Ritter, que realizou uma boa partida, cadenciando as jogadas e dando suporte na marcação.

Por mais que o Cruzeiro tenha vindo com time reserva, é inegável a qualidade dos cruzeirenses. Porém, o Vasco colocou seu futebol em campo, deu um olé no clima instável da política do clube e deu uma semana de paz aos seus torcedores. Vamos aguardar os próximos episódios, mas digo a você torcedor, apoie o time, compareça e faça parte dessa guerra contra o rebaixamento.

O Vasco da Gama é gigante!

Rafael Ribeiro / Vasco