O fim de um ciclo

O Flamengo tem uma das melhores categorias de bases do país, tanto é que sempre vem forte na Copa São Paulo de Futebol Júnior – a Copinha, e muitos garotos se juntam com os profissionais ainda bem jovens. Felipe Vizeu, Vinícius Júnior e Lucas Paquetá são três deles. Surgiram nas categorias de base do time carioca e ganharam evidência nacional muito rápido.

Mesmo com tantas contratações de peso, o rubro-negro conseguiu a classificação para as oitavas de final da Libertadores com a ajuda dos meninos. Antes da parada para a Copa do Mundo, o Flamengo era líder do Brasileirão, com muitos dos gols marcados pelos jovens promissores garotos da base. Apesar de milhões de reais gastos com nomes de fora, os meninos estavam conseguindo dar conta do recado. Só que futebol brasileiro hoje é só uma máquina de fazer jogadores e manda-los para o exterior, é difícil segurar aqui um jogador novo e promissor na carreira.

Infelizmente, para os flamenguistas e para o futebol brasileiro, os três não atuarão mais em território nacional em 2019. O primeiro a ser negociado foi Felipe Vizeu. Seu destino foi a Itália, dono da camisa 9 da Udinese, tenta consolidar a carreira no futebol europeu. Fato é que o Flamengo tenta buscar um centroavante há muito tempo e nenhum deles consegue se firmar. Vizeu foi bastante questionado, mas sempre foi um jogador decisivo nessa posição.

Vinicius Júnior foi vendido antes mesmo de completar 18 anos de idade. Considerado uma joia do futebol brasileiro, foi comprado pelo Real Madrid. A maior venda do time carioca. E talvez uma das que mais tenha doído no coração dos flamenguistas. Vinicius é novo, mas tem futebol e talento de sobra. Sabia realmente o que era vestir a camisa do Mais Querido. Aquela virada sobre o Emelec no Equador, com dois gols do moleque foi de tirar o fôlego.

Por último, mas não menos talentoso, Lucas Paquetá. O Flamengo segurou o garoto o máximo que pôde, mas é quase impossível segurar um jogador assim no Brasil. Foi negociado também para o futebol italiano. Milan será a nova casa do jogador, que apesar de não jogar mais pelo seu time do coração, continuará vestindo vermelho e preto.

O Flamengo perde muito com isso, já que os garotos sempre davam um novo gás na equipe. Raça e vontade de vencer eram sinônimos de Vizeu, Vinicius e Paquetá. Falta pouco para a temporada de 2018 terminar, o Flamengo só luta agora pelo título do Campeonato Brasileiro. Mas em 2019 pode revelar novos nomes da base, por que não? Sempre há jogadores novos chegando, querendo uma oportunidade no profissional. Que novos nomes apareçam, o futebol brasileiro agradece e o Flamengo também.

Foto: André Mourão