Na saúde e na doença

Dona Hilda

A perda de memória quando natural, costuma acontecer durante a velhice quando a idade já está altamente avançada. Certamente a nossa memória é a melhor forma de gravar as lembranças de momentos importantes como a formatura ou o casamento, e perdê-las é com certeza uma das coisas mais dolorosas que pode acontecer com alguém.

Imagine você não saber a data de aniversário de alguém importante na sua vida ou esquecer dos melhores dias passados ao lado dessa pessoa. Agora trazendo para seu lado torcedor, imagina esquecer da sua partida de futebol, da primeira ida ao estádio, do primeiro título que você viu seu time conquistar. Ou então, daquelas decepções que nenhum torcedor gosta de passar, mas que todos eles passam e no fim só fazem o amor pelo clube aumentar. É decepcionante não é?

Temos mais uma vez a prova, de que futebol não é só um jogo, não é só futebol. A história de hoje, é sobre como o amor pelo futebol, a paixão por um clube, vai além das lembranças. A torcedora do Atlético Mineiro, Dona Hilda Soares, sofria de perda de memória devido a avançada idade, mas quem disse isso afetaria na sua relação com o seu clube do coração? Pelo contrário, o futebol só lhe fez bem.

O neto, Cristiano Soares, foi o responsável pelo vídeo em que a avó aparece cantando trechos do hino do Galo quando ainda estava internada no hospital Ipsemg em Belo Horizonte. Dona Hilda tinha 97 anos e era natural de Lassance, no norte de Minas Gerais. Ela veio a falecer nessa última semana,mas nos deixou uma lição para a vida e para o futebol. Acompanhe o vídeo: