Fifa The Best: Luka Modric e o fim de uma era

Uma premiação histórica que mudou os rumos de uma batalha acirrada. Depois de muito tempo, a hegemonia de Cristiano Ronaldo e Messi chegou ao fim. Diferente de outras edições do Fifa The Best, algo novo aguardava a premiação, por dois motivos: de um lado, se Cristiano Ronaldo ganhasse quebraria mais um recorde, com mais troféus na premiação, superando Messi; de outro, se Salah ou Modric levassem, seria o fim do reinado entre Messi e CR7. E o segundo motivo foi a grande revelação que marcou a cerimônia da Fifa 2018.

Quem imaginaria que este seria o ano de Luka Modric? Além de melhor jogador do Mundial, melhor da Europa e agora o melhor do mundo da Fifa, é realmente inacreditável a temporada matadora do croata. Depois dos feitos na Copa do Mundo não foi tão surpresa ver seu nome sendo anunciado ao prêmio The Best. Pela seleção, foi uma das estrelas da equipe na conquista como vice-campeão da Copa do Mundo na Rússia. E pelo clube espanhol, foi uma das peças chaves para mais uma vitória merengue na Champions League.

Durante as últimas 10 edições, o pódio pertencia à CR7 e Messi, uma batalha que parecia não ter fim, até Modric interromper o domínio de dez anos dos dois. O último jogador que havia conquistado o troféu antes do português e argentino, foi Kaká, em 2007. Todos sabíamos que um dia a hegemonia deles teria fim, mas não esperávamos que estava tão próximo. Parece que foi ontem que Cristiano Ronaldo ganhava tudo, mas levou para casa o troféu quem mais se destacou na temporada, e dessa vez, o meia ficou com a melhor.

É uma situação difícil comparar os feitos de Cristiano e Messi à Modric, todos os prêmios e conquistas, em números é quase impossível. Mas veja bem, o ponto principal da premiação foi apenas a temporada 2017/18, ele não foi o artilheiro da UCL como Cristiano, porém teve um papel muito importante junto à equipe na conquista do terceiro prêmio consecutivo da maior competição de clubes, e a sua grande performance no Mundial 2018 foi o ponto-chave do triunfo. Com muita habilidade, o croata conseguiu exercer todas a funções dentro de campo, tanto defensivas, quanto as ofensivas. Avaliando tudo o que ele fez na temporada, de forma tática e técnica, o reconhecimento foi merecido.

Com 29,05% dos votos, o atual melhor do mundo desbancou Mohamed Salah do Liverpool e CR7 da Juventus para ficar com o troféu. Enquanto o português ficou com 19,08% e Salah em terceiro lugar com 11,23%. Dentre os votos, Modric recebeu o voto do técnico Tite, que apostou em Salah para o segundo lugar e CR7 para a terceira colocação. No palco, ele ainda agradeceu aos companheiros da Seleção da Croácia, à equipe do Real Madrid e, claro, aos torcedores.

“Obrigado aos meus fãs do mundo inteiro pelo apoio. Fico feliz pelo apoio que me deram desde sempre. Gostaria de agradecer aqueles que que votaram em mim. Gostaria de mencionar o meu ídolo do futebol, capitão da Croácia na Copa de 1998, em nossa primeira participação, quando ganhamos o terceiro lugar. Aquele time mostrou que poderíamos conquistar coisas grandes e, por sorte… Tivemos a sorte de ser a mesma coisa para as próximas gerações. E mostramos que o sonho pode ser realidade”, disse o croata.