Vale a pena vender o mando de campo?

O Vasco vendeu pela segunda vez o seu mando de campo neste ano. A equipe entrou em campo no último sábado (15), pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro contra o Flamengo. O jogo aconteceu no estádio Mané Garrincha em Brasília, com a presença de mais de 58 mil torcedores e proporcionou à eles tudo que um clássico tem direito.

Devido ao atual momento financeiro que vêm se arrastando a algum tempo, o clube vê como uma das poucas formas de recursos as bilheterias. Com a venda do mando foram arrecadados cerca de 450 mil. Mais a pergunta que não quer calar é: Até que ponto vale a pena vender o mando em um clássico? Não dá pra negar que o apoio da torcida fundamental, principalmente em um jogo tão importante, isso fez com que a opinião dos torcedores se dividissem e o assunto é polêmico entre os vascaínos.

Com a maior torcida do Brasil, o Flamengo contou com um número grande de torcedores na arquibancada fazendo uma linda festa, apoiando e cantando até o apito final. Com o jogo em casa, o Vasco da Gama poderia ter contado com o apoio da sua torcida, podendo assim ter conseguido mais que um empate contra o Rubro Negro. Atualmente, a equipe está na 17ª posição e se encontra na zona de rebaixamento, lugar tão temido pela sua torcida.

Sobre o mando de campo
A equipe que possui o mando de campo tem o direito de escolher em qual estádio vai jogar e fazer a distribuição de ingressos conforme quiser, com a venda do mando, o clube passa esses direitos ao adversário. No jogo entre Vasco e Flamengo, foi vendido o mando para empresas e empresários no ramo de marketing esportivo, que levaram o jogo para o Mané Garrincha.

A escolha foi vantajosa para o Flamengo, já que grande parte da torcida estava ao seu lado. A torcida Rubro Negra apoiou o time o jogo inteiro, e isso fez muita diferença. Com vantagem por ser acostumado a jogar neste estádio, onde o time tem mais facilidade para atuar, o Flamengo saiu com um empate, ainda que tenha jogado boa parte da partida com um homem a menos. Para a outra equipe, ficou apenas a vantagem financeira.

Foto: Janayna Carvalho