Atlético-MG, você não sabe aproveitar as oportunidades

Por: Vittoria Catarina

Carta de uma torcedora que vibra, que sofre, que ama, que briga, que elogia, que crítica, porque não aguenta ver a sua preciosidade deixando as oportunidades que a vida dá passarem. Ser eliminado de Sul-Americana e Copa América não está tudo bem, mas a torcida aceita. Agora ter mais tempo de treino, ter que se preocupar com apenas uma competição e não conseguir vencer, não dá para aceitar. Vocês precisam encontrar o equilíbrio. Não adianta ter o melhor ataque da competição, se a defesa deixa qualquer bola aérea entrar. Não adianta ver a evolução da zaga, quando a bola não entra mais.

Entendo que a equipe sofreu baixas durante a competição, mas isso foi puramente decisão da diretoria. Otero e Róger Guedes fazem falta? Muita, mas ainda existem 11 jogadores em campo, o que sempre vai permanecer é o Clube Atlético-MG. Gustavo Blanco lesionado? Uma baita fatalidade, mas e aqueles que esperaram a sua oportunidade chegar? Chegou, mas não estão correspondendo a expectativa da torcida. Ainda que o Galo tenha vendido seus melhores jogadores, contratou reforços tão bons quanto: Chará e Nathan são eles. Agora falta a vontade no coletivo, é começar o jogo 100% e não deixar para tentar o gol da vitória no último minuto.

Observem a nossa campanha depois da Copa do Mundo, em nove partidas: 10 gols sofridos, 12 gols marcados. Detalhe para os últimos cinco jogos: 3 gols sofridos, 6 gols marcados. O setor defensivo evoluiu, mas e o ataque? Não tem sido falta de criação do meio de campo, mas de competência para finalização dos nossos atacantes. Pior ainda, nos últimos dois jogos: 1 gol sofrido, 0 gols marcados. 21 finalizações contra o Vasco e 17 contra o Vitória, apenas 4 no alvo em cada jogo. E sinceramente? Com todo respeito a esses dois clubes, jogo contra Vasco não é para perder em casa, jogo contra o Vitória não é para perder em lugar nenhum. O time estava há cinco jogos sem vencer, jogaram muito, mas clube que quer ser campeão tem que saber neutralizar.

Como se não pudesse piorar, os favoritos ao título também tropeçaram na última semana. São Paulo empatou com o Paraná, Grêmio com o Cruzeiro. Com a vitória, o Atlético era para estar na quarta colocação na rodada do meio da semana. Pois bem, nessa rodada o Grêmio perdeu para o Atlético-PR. O Flamengo empatou com o América-MG, Internacional e Palmeiras terminaram também no empate. Era para estar na quarta posição, mas se manteve na sexta. Então assim, a cobrança feita aqui não é para o técnico que vem fazendo um excelente trabalho, Thiago Larghi. É para o jogador que tem a mente pequena, que não consegue ver o título e o quão isso pode ser grandioso para a sua história e para a do clube.

Agora virá uma sequência de jogos complicados, onde você vai ter que mostrar o quão grande é. A primeira partida contra o Corinthians fora de casa, clube que não está na melhor fase, mas deve se reerguer. O líder São Paulo no Independência, a partida mais difícil, mas onde vocês podem se apegar a massa atleticana. Confronto entre Atléticos também em casa, o Furacão já mostrou que não é time para ficar na segunda metade da tabela e vai vir com tudo para cima. Clássico no Mineirão, o Cruzeiro que sempre se mostra um típico mineiro, comendo pelas beiradas. E então, Flamengo no Maracanã, acredito que esse jogo vai ser reflexo do momento que estaremos vivendo após as outras partidas.

Jogadores, vistam o nosso manto com o mesmo amor que vestimos para torcer por vocês. Os problemas não vão se resolver na conversa, não vão se resolver somente com treinos. Vão se resolver com raça, com vontade, com a consciência do que a nossa camisa representa. Não estamos esperando de vocês uma campanha igual da Libertadores de 2013, mas queremos lembrar da raça do time de 2018, aquele que fez algo histórico para o nosso clube. “Nós somos do Clube Atlético Mineiro, jogamos com muita raça e amor. Vibramos com alegria nas vitórias, Clube Atlético Mineiro, Galo Forte Vingador”.

Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG