O que você mudaria no futebol?

Você já se perguntou isso alguma vez? Não estou falando de mudar algo na partida, mas no mundo futebolístico em si, costumes enraizados através dessa prática. Bom, não sei se você já quis mudar algo no futebol, mas eu já. E hoje eu resolvi falar mais sobre isso.

Futebol não combina com violência, nem com preconceito e muito menos com nenhum tipo de desrespeito. Na verdade, nenhuma modalidade esportiva combina, assim como nada na vida. É errado! E um erro não deixa de ser erro porque o praticante está no “calor da emoção”. Isso não existe, é desculpa e passou da hora de acabar.

Eu sou torcedora do Bahia e, no popular, “rata de estádio”. Se tem Bahia, eu vou. Para começar a minha lista, vamos falar de machismo: no começo dessa semana foi a primeira vez que eu fui sozinha a um jogo e a primeira vez como sócia do meu time – plano anual para ter acesso a todas as partidas locais -, e foi notório para mim os olhares curiosos vindo na direção de uma mulher descendo a ladeira da Fonte rumo à entrada de sócio torcedor. Procuravam a todo tempo alguém ao meu lado, e não precisaram dizer uma palavra para eu sentir isso. A pergunta é: por que será que me olharam assim? A resposta é óbvia, na linguagem popular machista eu não pertenço àquele ambiente.

Ok, prosseguimos com a lista: alguém já parou para se perguntar por que a gente xinga a mãe do juiz? Por que a gente usa termo pejorativo referindo a ela? Nas minhas idas ao estádio ainda vejo pior, quando os jogadores do time adversário vem aquecer na frente da nossa torcida é possível ouvir alguns homens gritar que “sua mulher estava comigo ontem à noite, aquela…” prefiro nem repetir aqui, mas imaginem os termos mais chulos e impróprios. Por que a mulher do jogador? Por que a mãe do juiz? Por que eu não posso ir ao estádio sozinha? Eu mudaria a prática machista no futebol. É tempo de mudar. Basta!

Outro tópico importante da minha lista, preste atenção: “viado” NÃO é xingamento. Chamar uma pessoa de gay não é para ofendê-la, e isso consegue me tirar do sério em toda partida. Estão menosprezando uma causa séria e agindo na mais completa ignorância. Não trata-se de gostar, eu quero que você respeite!

E para fechar a lista, eu gostaria de falar sobre o racismo. Utilizando mais uma vez o meu time, mas só como base de exemplo porque vimos tal prática até com jogador da Copa do Mundo. Na partida entre Bahia x Cerro, um torcedor do Cerro imitou um macaco da arquibancada. Para ele, eu deixo um singelo recado: macaco é um animal mais inteligente do que você com toda essa mente preconceituosa e démodé.

Estão estragando um esporte que é cheio de amor e união. Não venham me dizer que é mimimi ou futebol “nutella”, desrespeito mudou de nome agora? O seu dever de ficar calado começa quando agride o direito dos outros!