As reviravoltas da primeira rodada da Copa do Mundo

Os jogos da primeira rodada da Copa do Mundo abriram a competição repletos de momentos inesperados. Teve ansiedade de estreia, goleadas, dez pênaltis, polêmicas com vídeo arbitragem, zebras, hat-trick e alguns gols cotados a mais bonito da edição. Cada grupo contou com lances curiosos e, já na estreia, a seleção anfitriã fez uma bela partida no Estádio Lujniki.

Pelo grupo A, a Rússia goleou a Arábia Saudita por 5 a 0. Quem marcou o primeiro gol da copa foi o meia Gazinnsky. Na etapa inicial, Dzagoev, o destaque da seleção russa, sentiu o músculo posterior esquerdo da coxa em um contra-ataque da equipe e precisou ser substituído. Cheryshev entrou em seu lugar, marcou dois gols e fez uma ótima partida com boas movimentações em campo. O atacante Dzyuba, que saiu do banco de reserva no segundo tempo, cabeceou para dentro da rede e fez o terceiro. Golovin fechou o placar da goleada. Os Falcões Verdes, como é apelidada a seleção saudita, ainda criaram chance de finalizar para o gol, mas não obtiveram sucesso.

Egito e Uruguai foi o outro confronto do grupo A na primeira rodada. Em um jogo apertado, a seleção sulamericana teve dificuldade de furar a zaga adversária que fez bons cortes durante a partida. El Shenawy, goleiro egípcio, foi o grande nome da disputa ao defender com categoria várias finalizações uruguaias na segunda etapa. Inclusive de craques como Cavani e Suárez, que falhou em boas chances de marcar para o time Celeste. O responsável pela vitória por 1 a 0 sobre o Egito de Mohamed Salah, poupado na estreia da Copa em recuperação da lesão no ombro, foi o zagueiro José Giménez em levantamento na área após cobrança de falta por Sánchez.

Marrocos e Irã abriram a rodada para o grupo B. Muitas falhas e pouca técnica por parte das duas seleções resumem a partida. A equipe africana fez um primeiro tempo melhor com mais chances de chegar ao gol, mas não conseguiu balançar a rede. Na etapa final, a seleção iraniana se saiu um pouco melhor segurando o jogadores marroquinos. O resultado do embate foi de 1 a 0 para Irã um com gol contra do atacante marroquino Bouhaddouz.

Ainda no mesmo grupo, um dos jogos mais quentes da rodada foi entre Portugal e Espanha. Cristiano Ronaldo abriu o placar após cobrança de pênalti logo no início do duelo, mas os espanhóis cheios de técnica dominaram a partida e Diego Costa empatou para a seleção espanhola. Portugal, saiu na frente com outro gol de CR7 da entrada da área em falha de De Gea na defesa. Diego Costa empatou novamente para a Espanha e, três minutos depois, o lateral direito Nacho virou para a La Furia. A partida terminou 3 a 3 quando, ao cobrar falta no final do segundo tempo, Cristiano Ronaldo igualou.

No grupo C, o jogo entre França e Austrália foi marcado pelo uso do vídeo arbitragem pela primeira vez na história. Os franceses saíram pressionando e a seleção australiana buscando contra-ataques, marca em diversas equipes na rodada. Em escanteio francês, quase saiu um gol contra em jogada aérea do adversário. A sorte foi o desvio feito pelo goleiro Lloris. Na segunda etapa, Griezmann sofreu falta na área e inicialente o pênalti não foi marcado.

O VAR foi acionado e o juiz voltou atrás. Quem bateu foi o próprio atacante, que converteu e abriu o placar do jogo. Minutos depois teve penalidade máxima para o lado australiano quando, Umtiti – zagueiro francês – colocou a mão na frente da bola. Jedinack empatou o placar para a Austrália. Pogba apareceu mais no segundo tempo e dividiu uma bola com Behich que foi parar no travessão e caiu atrás da linha. O chip na bola acusou o gol e a FIFA considerou ele contra.

Uma das favoritas no Grupo c, a Dinamarca, jogou contra a seleção do Peru, última seleção a se classificar para a Copa. Apesar do favoritismo, a equipe europeia pouco fez e a peruana quase não marcou a adversária. Cueva sofreu um pênalti ainda no primeiro tempo dado pelo VAR, mas o chute foi para fora e perdeu a chance de ajudar a equipe. Em contra-ataque junto com Sisto e Eriksen, Poulsen fez o gol da vitória dinamarquesa. Paolo Guerrero entrou no segundo tempo e melhorou bastante a partida com boas chances de finalização, inclusive de calcanhar, mas o camisa nove não conseguiu balançar as redes. Peru 0 a 1 Dinamarca.

A bola rolou no Estádio Spartak pelo grupo D com atuação freada de Messi e companhia pelo paredão irlandês. O atacante até conseguia passar da marcação de três ou quatro e chutar ao gol, mas o goleiro Halldórsson fez uma partida impecável. Aguero, após chute de Di Maria, dominou bem e bateu de canhota fazendo o primeiro da Argentina na copa. Não demorou muito e Finnbogason empatou o confronto. Depois de três cruzamentos e mais um direto para o gol, o atacante pegou o rebote após defesa do goleiro argentino e aproveitou para fazer um para a Islândia. A equipe azul e branca ainda criou boas chances de gols, a maior delas numa penalidade desperdiçada por Messi na segunda etapa, que parou novamente no goleiro da Islândia. O resultado final foi de 1 a 1.

Em Kalingrado, o jogo entre Nigéria e Croácia começou morno e foi mais um duelo decidido nas bolas paradas. A seleção europeia marcou em um escanteio da direita no primeiro tempo que depois de dois desvios ampliou, através de um outro córner pela esquerda. no segundo tempo, Mandzukic foi agarrado na área por um zagueiro africano Ekong. Pênalti claro assinalado pelo árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci sem o uso do VAR, que o capitão croata Modric, bateu com categoria. Os nigerianos decepcionaram e quase não ameaçaram o gol adversário. A vitória por 2 a 0 deixou os croatas na liderança isolada da chave com 3 pontos ganhos.

No primeiro jogo de domingo da Copa do Mundo, Costa Rica e Sérvia estrearam pelo grupo E. Os costa-riquenhos apostaram em um jogo recuado e nos erros dos adversários sérvios que tiveram mais posse bola na etapa inicial. Navas fez grandes defesas para sua seleção que saiu mais no segundo tempo, porém não conseguiu marcar para os Los Ticos. Mitrovic, atacante sérvio, sofreu falta na intermediária e quem bateu foi Kolarov que mandou a bola na gaveta e garantiu os três pontos para a Sérvia com a vitória. A Costa Rica teve a chance de empatar no final do segundo tempo com bola fácil na área, mas o bandeirinha deu impedimento.

A equipe brasileira teve seu primeiro jogo contra a seleção da Suíça cheio de pontos questionáveis. Os suíços saíram na frente no ataque, mas logo o domínio passou a ser do Brasil. Neymar sofreu uma falta dura logo no início, mas o cartão amarelo não foi usado na situação. A seleção passou a atacar pelo seu lado esquerdo e teve boas chances próximas do gol adversário. Tanto fez para isso que, Marcelo cruzou para Philippe Coutinho e o meia chutou para gol da entrada da área surpreendendo a zaga e emplacou o primeiro gol da seleção rumo ao hexa.

Apesar do triunfo, o Brasil recuou e deu abertura para os suíços chegarem próximos ao gol. A partir daí, as saídas de bola ficaram mais difíceis para a selleção canarinha. Miranda foi empurrado na área Suíça em cobrança de escanteio e o lance favoreceu o gol de Zuber para a equipe europeia. Os jogadores brasileiros reclamaram, mas o VAR no momento não acusou a falta e o juiz deu seguimento ao jogo. Outro lance polêmico foi um pênalti não dado em cima de Gabriel Jesus.

Pelo grupo D, a atual campeã mundial, Alemanha, perdeu para o México. Mesmo com a forte marcação e ataque, a seleção alemã não conseguiu furar a defesa adversária. Os mexicanos buscaram contra-ataques e em um deles saiu o gol da partida. Lozano, com calma, recebeu de Chicharito e finalizou no final da primeira etapa para a seleção mexicana. No segundo tempo, os sulamericanos precisaram se adiantar na marcação para manter a vantagem e melhorar nas saídas de bola. Enquanto Alemanha ficava mais ofensiva com as substituições, o México se fechava cada vez mais e deu certo. Ochoa também fez importantes defesas garantindo a vitória da seleção. Final: Alemanha 0 a 1 México.

Suécia e Coréia do sul também se enfrentaram pelo grupo D. De um lado, os suecos mais fortes fisicamente e altos, buscaram jogadas aéreas no ataque. Do outro, coreanos mais leves e rápidos, optaram pelo contra-ataque veloz e bem armado. O jogo teve muitas faltas e, em um dos lances duvidosos, o VAR novamente precisou ser usado. O árbitro deu pênalti para a Suécia após Claesson sofrer uma falta de Mim Me-Woo dentro da área. O capitão Granqvist converteu a penalidade máxima e assegurou os três pontos para a Suécia.

Bélgica e Ingleterra confirmaram o favoritismo no grupo G e venceram na primeira rodada. As duas seleções passara aperto com suas adversárias, mas garantiram a duas primeiras colocações na tabela.

Os belgas enfrentaram o Panamá, que jogou bem atrás e dificultou as jogadas de ataque. Os Diábos Vermelhos pressionaram no início, mas logo diminuíram o ritmo com algumas falhas. Na etapa final, a Bélgica melhorou e fez três gols em cima dos panamenses. Mertens fez o primeiro com forte chute no canto direto do goleiro Penedo e Lukaku marcou os outros dois. Um de cabeça com a ajuda de De Bruyne e o outro com a de Hazard em chute cavado por cima goleiro.

Já entre Tunísia e Inglaterra, o placar foi de 1 a 2. Os ingleses começaram melhores dando poucos espaços para os adversários. Kane abriu o placar no primeiro tempo, após pegar um rebote após bela defesa do goleiro Hassen de uma cabeçada do zagueiro inglês Stones. Tudo ia bem quando Walker fez uma falta em cima de Sassi. O lance foi dado pênalti que foi convertido pelo próprio volante tunisiano. A seleção africana tentou manter o resultado igual, mas Kane fez mais um confirmando o favoritismo inglês.

A zebra literalmente passeou no Grupo H, que por conta disso pode se tornar o mais animado da Copa, pois as favoritas Colômbia e Polônia perderam para Japão e Senegal respectivamente.

Em Saransk, na Arena Mordóvia, a Colômbia cometeu muitos erros no começo da partida que foram determinantes para a derrota. Os sulamericanos perderam a bola no campo de defesa e na definição da jogada, o volante Sanchez parou o chute de Kagawa com as mãos dentro da área e levou o cartão vermelho. A penalidade foi bem batida pelo próprio Kagawa. O técnico colombiano, José Pekerman, mexeu no time para ajustar o fator homem a menos e chegou ao empate numa cobrança de falta por baixo da barreira no estilo Ronaldinho de Quintero, no fim do primeiro tempo. Porém, os japoneses na etapa final, criaram diversas chances de gol. No entanto, nada adiantou a boa atuação do goleiro colombiano Ospina, pois em outra bola parada, Osako deu números finais a partida.

O último jogo da primeira rodada aconteceu em Moscou, no Spartak Stadium, que contou com as estreias das seleções da Polônia e de Senegal. A disputa começou em um ritmo bem arrastado e com mais posse de bola da seleção polonesa. Lewandowski participou pouco e acabou ficando isolado durante quase todo o confronto. Já os africanos os contra-ataques puxados pela estrela, Sadio Mané, a sua maior arma. O gol que abriu o placar teve origem nos pés do craque do Liverpool, que passou na entrada da área para Gueye, que finalizou, a bola bateu no defensor Cionek, tirando qualquer chance de defesa para o goleiro Szczesny , em mais um gol contra desse Mundial.

A Polônia novamente tentou se impor, mas acabou esbarrando num dia sem inspiração do setor ofensivo. Aos 15’ do segundo tempo, um lance inusitado praticamente decidiu o placar da partida: o centroavante senegalês Niang estava sendo atendido do lado de fora do gramado, quando subitamente foi autorizado para retornar ao campo pelo juiz. A defesa polonesa não estava atenta e após passe de cabeça de Krychowiak para trás. ela não esperava que a bola fosse na direção de Niang que se antecipou e em um só toque tirou o zagueiro Bednarek e o goleiro polonês, tendo o trabalho de apenas empurrar a bola para as redes de um gol vazio.

Nos minutos finais a seleção cabeça de chave do grupo ainda tentou uma reação e conseguiu um gol de honra a 10 minutos do fim. Grosicki cobrou falta na entrada da área e encontrou Krychowiak que subiu de cabeça e colocou a bola dentro da rede.