Wilson, o goleiro artilheiro

Wilson Rodrigues de Moura Júnior, ou apenas Wilson, nasceu em Santo André (SP) no dia 31 de janeiro de 1984. Veio da base do Flamengo, ficou praticamente dez anos e subiu para o profissional em 2005. O mais curioso é que ele foi campeão estadual de futsal do Rio de Janeiro, entre 1999 e 2000 pelo rubro-negro carioca. Era normal o futsal pedir reforço para o time que treinava na Gávea. Ele era muito requisitado para jogar no time de futsal, e diz que agradece à pratica que hoje em dia o ajuda muito nos jogos. Também teve passagem pela Portuguesa-RJ e Olaria (RJ), Figueirense (SC) e Vitória (BA), time no qual também se destacou. Sua estreia, em 2007, no Figueirense foi contra o Avai, e por causa de sua grande atuação acabou se tornando um grande ídolo da torcida. O goleiro chegou a marcar três gols com a camisa do Figueira, dois de pênaltis e um de falta, inclusive a cobrança de falta é também uma das características do arqueiro, ele mesmo citou que fez esse gol pelo Figueirense, e que vira e mexe até treina, agora no Coritiba (PR).

Em 18 de junho de 2015, Wilson foi para o Coritiba, no qual hoje ele é ídolo unânime da torcida alviverde. E, pudera, o torcedor jamais vai esquecer a primeira vez em que ele foi o protagonista, no jogo contra o Rio Branco (PR), válido pelo Campeonato Paranaense. Aos 51’ do segundo tempo, Wilson deixa sua meta e vai até a área adversária e marca um gol de cabeça, que levou o torcedor ao delírio e decreta o empate por 3×3 em um desfecho raro. Mal sabia o torcedor que as surpresas não parariam por aí, em jogo memorável contra o Belgrano, na Copa Sul-Americana, em uma noite histórica, o goleiro defendeu dois pênaltis e fez um gol, eliminando assim os argentinos da competição. O Coritiba vinha de uma carência de goleiros, depois da saída de Vanderlei, trazendo muitas dúvidas em relação ao Wilson, que com certeza foram sanadas após esse jogo.

Wilson também se destacou ano passado (2017) pelo Coritiba, por duas razões: primeiro por ser o goleiro com o maior número de defesas difíceis, foram 52 defesas difíceis em 31 jogos, e também por se tornar o batedor de pênalti oficial do clube, que lhe rendeu o apelido de goleiro artilheiro. Brilhou em muitos jogos, como o contra o Sport, na 31º rodada do Brasileiro em que defendeu dois pênaltis do Diego Souza e fez muitas defesas difíceis, salvando o Coxa e ajudando a vencer fora de casa por 4 a 3. Lembrando também que esse ano, ele se destacou por conta dos lançamentos, que superaram os 80 metros e acabaram virando uma arma do Coritiba nos jogos, com reposições de velocidade que podem originar desde uma expulsão do adversário até ao gol do Coxa, ele tem sido um dos maiores armadores da equipe.

Mas as surpresas quanto ao paredão alviverde não param por aqui, agora recentemente ele anunciou a realização de um sonho. O artilheiro lançará no mês de junho uma escolinha de futebol especializada para goleiros em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. Com o apoio do Clube, o projeto atenderá aspirantes a goleiros entre as idades de 4 e 17 anos. Sem data marcada, a “Escola Coxa de Goleiros Wilson – W84”, é um sonho antigo do goleiro que já declarou que pretende se aposentar no Coritiba, seu atual time do coração.

O jogador ainda declarou por meio de sua assessoria de imprensa: “Recebo muitas mensagens nas redes sociais de crianças e adolescentes que sonham em ser goleiros e agora eles poderão ter essa oportunidade de se especializar com profissionais capacitados para, quem sabe, ter um caminho um pouco mais facilitado para se tornar um jogador profissional”. O Wilson é um exemplo a ser seguido. Ele é admirado por todos, sendo torcedores do Coritiba ou não. Um cara que veste a camisa e se esforça, batalha muito para alcançar seus objetivos e que não tem medo de arriscar. Wilson, o Brasil precisa de mais caras como você.