Seleção Brasileira: Willian, o foguete genial

Willian Borges da Silva nasceu no dia 09 de agosto de 1988 em Ribeirão Pires (SP). Ingressando bem cedo no futebol, com apenas dez anos já vestia a camisa do Corinthians, no qual ficou quase dez anos. Para o profissional subiu em 2006, quando o comandante do Corinthians o Emerson Leão e logo em seguida foi vendido para o Shakhtar, em uma das maiores transações já feitas pelo clube.

Se preparando para atuar na sua segunda Copa do Mundo, o meia atacante foi convocado por Tite que o apelidou carinhosamente de “foguete”, desde sua atuação contra o Equador ano passado. Xodó do técnico da Seleção Brasileira, Willian vive grande fase, mesmo após perder sua mãe em 2016, ele deu a volta por cima e seguiu o seu percurso.

Willian foi convocado primeiramente para compor a Seleção Brasileira sub-20 em 2007, no qual foram campeões pelo Campeonato Sul-Americano.

Seleção Brasileira

Sua estreia no profissional foi em 10 de novembro de 2011, no amistoso Brasil (2) x Gabão (0), mas Willian marcou pela seleção apenas no dia 16 de novembro de 2013, em outro amistoso Brasil (5) x Honduras (0).

Jogando mais ofensivamente, Willian se sobressai na velocidade, habilidade e nas finalizações. Sua posição principal é extremo direito, no qual consegue ótimas arrancadas e belas jogadas, porém se adapta também no extremo esquerdo e médio ofensivo.

Sobre seu estilo de jogo ele diz – É dom, é natural. Claro que temos de treinar e aperfeiçoar sempre, mas tenho isso desde moleque. O arranque, o drible, driblar e chutar. Acho que é dom. Sempre foi meu estilo de jogo, pegar a bola, arrancar e driblar.

Criador de três gols nas eliminatórias, também se destacou nas variações em cobranças de escanteios. Willian é quem mais atuou pela seleção brasileira desde a Copa do Mundo de 2014, com 36 participações.

Ele com certeza é o faro de gol que a seleção precisa para alcançar o tão sonhado Hexa campeonato.