Seleção Brasileira: Marcelo, a consagração do melhor

Notado o talento por seu avô ainda na infância, Marcelo Vieira da Silva Júnior foi um dos escolhidos pelo técnico Tite para representar a Seleção Brasileira na Copa da Rússia em 2018. O melhor lateral da esquerda do mundo, segundo a FIFA, esbanja técnica e habilidade e mais uma vez tem a missão de defender a camisa canarinha.

Marcelo começou sua carreira nas categorias de base do Fluminense. Em 2005 já estreava no time profissional com ajuda do técnico Abel Braga e ganhou seus primeiros títulos, a Taça Rio e o Campeonato Carioca. No mesmo ano, disputou o Campeonato Mundial de Futebol Sub-17, onde se destacou na lateral e conquistou na volta a titularidade no clube Tricolor carioca.

No ano seguinte, em 2006, foi convocado na primeira seleção feita por Dunga e fez sua primeira partida com a amarelinha na equipe principal. Já em 2007, o lateral esquerdo foi transferido para o Real Madrid e estreou jogando como ala no clube espanhol. Seu brilho na temporada garantiu mais cinco anos de contrato no Galáticos.

Nas Olimpíadas de 2008, ajudou a equipe brasileira em sua classificação para a semifinal mancando o segundo gol contra a Camarões. Marcelo ficou um tempo sem jogar pela seleção e só foi jogar novamente nela em 2013, na Copa das Confederações no Brasil.

Em 2014, na concentração da Copa do Mundo do Brasil, recebeu a notícia que seu avô faleceu e logo na estreia fez um gol contra para a equipe da Croácia. O Mundial daquele ano, apesar de ser em sua casa, seria uma das fases mais difíceis de sua carreira. O 7 a 1 contra a Alemanha, na semifinal, ainda estava por vir.

Porém, a Seleção Brasileira, tomou novos rumos na Era Tite e lá estava o jogador mais uma vez marcando gol e garantindo a classificação antecipada da Seleção Brasileira para o mundial de 2018. Os novos tempos chegaram.

Nós, brasileiros, desejamos boa sorte para o melhor lateral do mundo e que ele demonstre toda a sua habilidade, tranquilidade e técnica no domínio e passe de bola contra os adversários. Que seu talento, reconhecido por seu avô e lapidado lá em Xerém, no RJ, faça-o muito feliz onde quer que ele esteja e dê orgulho para todo do país no dia 15 de julho de 2018 conquistando o Hexacampeonato.