Goleiro, a camisa mais pesada

Neste sábado, durante o jogo mais esperado do ano, um dos goleiros acabou cometendo falhas que para muitos torcedores são dadas como “inaceitáveis”. Karius, arqueiro do Liverpool, errou em dois lances que foram cruciais para o time do Real Madrid se consagrar campeão da Champions League. O jovem jogador, de apenas 24 anos, conquistou a confiança do técnico Klopp para assumir a posição durante essa competição tão esperada pelo elenco. Só que a partida não saiu como o esperado, nem sempre os nossos sonhos acontecem da forma como nós gostaríamos que acontecessem.

Por nervosismo, falta de foco ou abatimento após a saída de Salah durante o jogo, Karius foi o grande “destaque” da partida. O jogador declarou: “Meus erros custaram o título”. Jornais ingleses já vinham noticiando, durante a temporada, o interesse do Liverpool em contratar um novo goleiro. Após o ocorrido, possíveis nomes surgiram na mídia inglesa para a próxima janela de transferências: O goleiro Alisson, da Roma e títular da Seleção Brasileira. Oblak, do Atlético de Madrid. E nomes mais baratos como: Timo Horn, do Colônia, e Alex McCarthy, do Southampton. A situação anda tão grave em Liverpool, que a polícia de Meyerside investiga possíveis ameaças de morte ao goleiro nas suas redes sociais.

Karius se pronunciou no Twitter e no Instagram, na manhã de domingo (27): “Ainda não dormi até agora, as cenas ainda estão passando pela minha cabeça de novo e de novo… Sinto muito por meus companheiros de equipe, por vocês fãs e por toda a equipe. Eu sei que eu estraguei tudo com os dois erros e deixei vocês para baixo. Como eu disse, gostaria de voltar o tempo, mas isso não é possível. É ainda pior, pois todos sentimos que poderíamos ter batido o Real Madrid e estivemos no jogo durante muito tempo. Obrigado aos nossos fãs inacreditáveis que vieram para Kiev e seguraram minhas costas, mesmo depois do jogo. Eu não tomo isso como garantido e mais uma vez me mostrou a grande família que somos. Obrigado e vamos voltar mais fortes.”

Agora, deixando de lado um pouco as questões noticiosas, é triste e chega a ser cruel pensar o rumo que um jogo pode dar a carreira de uma pessoa. Pare para refletir em alguns pontos, pense o quão difícil é para um goleiro se destacar no mundo do futebol. Levando em conta que: Diferente da maioria das posições, onde as vezes é preciso poupar o atleta de alguns jogos, que abre o caminho para novos talentos reservas. Para o arqueiro, quanto mais ele joga é melhor, é preciso estar com o ritmo de jogo em dia. Certo, agora pense que o reflexo disso são diversos atletas em busca do mesmo sonho, a procura de uma única oportunidade que surge muitas vezes a partir da lesão do seu companheiro de equipe, do erro dele, mas poucas vezes de uma contratação.

Voltando para o caso do Karius, um jovem jogador alemão. Já pensou o quanto essa vaga e essa oportunidade custou para o garoto? A Alemanha tem uma das maiores, se não a maior, escola de goleiros do mundo. Não é à toa que surgem nomes grandiosos como: Manuel Neuer, Ter Stegan e, por que não, Loris Karius. Agora pense como é difícil se destacar no meio desses dois primeiros nomes? O quão difícil é conseguir a posição de titular em uma final de Champions League? Pode ter certeza: Nessa posição, é um em um milhão. Condenado por um erro, essa é a vida dura de uma pessoa que se torna destaque em algo. Não é a primeira vez e, infelizmente, não será a última que ocorre com um goleiro. Júlio César é um dos casos onde o futebol nem sempre é um mar de rosas, mas é injusto.

Por esse, e tantos outros motivos que só quem é goleiro sabe, que todos os mestres dessa posição se solidarizaram com o jovem jogador, torcendo para a sua recuperação emocional e de jogo. Um deles, é o arqueiro Alisson que em entrevista disse: “Fiquei muito triste. Nós, goleiros, quando vemos uma falha de outro goleiro, acabamos sentindo como se fôssemos nós. É muito triste ver isso, mas ele precisa levantar a cabeça. Faz parte do futebol e a vida tem que seguir.” É bem comum utilizarmos a frase “não é só futebol”, porque nós sabemos o quanto esse esporte nos emociona. Ao mesmo tempo, é preciso lembrar em casos de extrema ignorância por parte dos torcedores, que sim, as vezes, é só futebol. A sua vida vale muito mais, força Karius!